O que são commodities e quais são os tipos?

21 de agosto de 2020 - por Sidemar Castro


As commodities são produtos que servem de matéria-prima para outros produtos. Geralmente, a sua produção ocorre em grande quantidade e são produtos não perecíveis.

Assim, as commodities podem ser financeiras, agrícolas, ambientais e minerais. Alguns exemplos de commodities são a soja, açúcar, ouro e petróleo.

Quer saber mais sobre os tipos de commodities? Então, não  perca a chance, leia a matéria.

O que são commodities?

A palavra commodity significa mercadoria, em inglês, sendo commodities, seu plural. Antigamente, a palavra era usada para se referir a mercadorias de modo geral, mas no mundo atual, a palavra adquiriu uma nova significação no comércio internacional.

Commodities são produtos de origem primária, produzidos em larga escala e que podem ser estocados sem perder a qualidade. Elas possuem grande valor no mercado mundial e são utilizadas como matérias-primas para a produção de diversos bens industrializados.

As commodities são classificadas, conforme a sua origem, em agrícolas, pecuárias, minerais e ambientais. São exemplos a soja, o milho, o café, a carne de boi, o minério de ferro, a madeira, entre outros.

Elas são negociadas em bolsas de valores em todo o mundo e a sua cotação é baseada na oferta e demanda. Eventos climáticos, fatores políticos e econômicos podem acabar impactando o preço de produtores específicos.

O Brasil é um dos principais produtores de commodities no mundo, com destaque para a produção de soja, carne, petróleo, açúcar e ferro.

Quais são os tipos de commodities?

Agora que você sabe o que são commodities vamos falar sobre os tipos existentes:

1) Agrícolas

As commodities agrícolas são um dos tipos mais relevantes na economia brasileira. Isso porque, são produtos com alta demanda nacional e internacional. Incluem produtos provenientes do agronegócio.

Dentre as commodities mais negociadas pelo Brasil com os demais países podemos destacar a laranja, milho, café, milho, soja, trigo, açúcar e algodão.

2) Financeiras

As commodities financeiras são compostas por títulos emitidos pelo governo e por moedas negociadas no mercado. Por exemplo, o euro, dólar, real e títulos do governo.

3) Ambientais

As commodities ambientais são itens originados de recursos naturais, que são necessários na produção agrícola e industrial. Alguns exemplos disso são a água, energia, créditos de carbono e madeira.

4) Minerais

Por fim, as commodities minerais são relacionadas com os bens minerais encontrados nos países. Alguns exemplos disso são o gás natural, etanol, petróleo e ouro.

Para que servem as commodities?

Elas são matérias-primas básicas que desempenham um papel fundamental na economia global, servindo como insumos essenciais para a produção de uma ampla variedade de produtos. Elas são pouco processadas e negociadas em larga escala no mercado internacional.

Normalmente, as commodities são utilizadas como matéria-prima em diversos setores, incluindo alimentos, bebidas, têxteis, construção civil, petroquímica e muitos outros. Além disso, as commodities têm um impacto significativo no desenvolvimento econômico de países produtores e são essenciais para o comércio exterior.

Em resumo, as commodities são a base da economia global, influenciando diretamente os preços e a disponibilidade de uma ampla gama de produtos finais.

Quais são as principais commodities brasileiras?

No Brasil, as principais estão ligadas ao agronegócio. Como somos um país rico em recursos naturais é, portanto, uma das áreas mais desenvolvidas.

As principais commodities responsáveis por movimentar a economia brasileira e o valor médio gerado por cada uma anualmente são:

  • 1° Soja (US$ 35,24 bilhões)
  • 2° Minério de ferro (US$ 25,78 bilhões)
  • 3° Petróleo bruto (US$ 19,61 bilhões)
  • 4° Açúcar e melaço (US$ 8,75 bilhões)
  • 5° Boi gordo (US$ 8,4 bilhões)
  • 6° Celulose (US$ 5,98 bilhões)
  • 7° Milho (US$ 5,85 bilhões)

No caso da soja, o Brasil é o maior exportador de soja do mundo. A China é o principal destino das exportações de soja brasileira.

Na produção do minério de ferro, o Brasil possui a segunda maior reserva do mundo. A China é, também, o principal comprador dessa commodity brasileira.

Já no caso do petróleo, o Brasil está entre os dez maiores produtores mundiais. Assim como a soja e o minério de ferro, a China é o principal destino das exportações de petróleo brasileiro.

Quanto ao açúcar e melaço, o Brasil é o maior produtor e exportador mundial de açúcar.

Essas commodities desempenham um papel crucial na economia do Brasil, contribuindo significativamente para o Produto Interno Bruto (PIB) e as exportações do país.

Qual é a importância das commodities?

Elas são matérias-primas básicas que desempenham um papel fundamental na economia global, servindo como insumos essenciais para a produção de uma ampla variedade de produtos. Elas são pouco processadas e negociadas em larga escala no mercado internacional.

Normalmente, as commodities são utilizadas como matéria-prima em diversos setores, incluindo alimentos, bebidas, têxteis, construção civil, petroquímica e muitos outros. Além disso, as commodities têm um impacto significativo no desenvolvimento econômico de países produtores e são essenciais para o comércio exterior.

Em resumo, as commodities são a base da economia global, influenciando diretamente os preços e a disponibilidade de uma ampla gama de produtos finais.

Quais são as vantagens de investir em commodities?

Investir nela oferece várias vantagens para os investidores. Aqui estão algumas razões pelas quais as commodities podem ser uma parte interessante de uma carteira de investimentos:

A primeira delas é a diversificação. As commodities têm baixa correlação com outros ativos, como ações e títulos. Investir em commodities pode ajudar a diversificar sua carteira e reduzir o risco geral.

Outra vantagem é a proteção contra a inflação. As commodities, especialmente metais preciosos como o ouro, tendem a se valorizar durante períodos de inflação. Elas servem como uma proteção contra a perda de poder de compra da moeda.

As commodities também são essenciais para a demanda da economia global. A procura por alimentos, energia e materiais industriais mantém o mercado de commodities ativo.

Outra vantagem é que elas ajudam no crescimento de países emergentes. O crescimento econômico de países como a China e a Índia impulsiona a demanda por commodities. Esses países precisam de matérias-primas para infraestrutura, construção e produção industrial.

Hedging e gestão de risco é outra vantagem. Produtores e consumidores usam contratos futuros de commodities para se proteger contra flutuações de preços. Investidores também podem usar commodities como parte de estratégias de hedge.

Finalmente, existe o potencial de lucro. Em momentos de escassez ou alta demanda, os preços das commodities podem subir significativamente. Isso oferece oportunidades de lucro para investidores que compram na hora certa.

E as desvantagens?

A principal desvantagem é a volatilidade de preços. Os preços das commodities podem ser extremamente voláteis. Fatores como oferta, demanda, condições climáticas e eventos geopolíticos afetam significativamente os preços. Investidores podem enfrentar grandes oscilações em seus investimentos.

Outra é a dependência de setores específicos. Investir em commodities está diretamente ligado a setores bem definidos como agricultura, energia ou mineração. Se esses setores enfrentarem dificuldades, seus investimentos em commodities também serão afetados.

Mais uma desvantagem, os custos de armazenamento e transporte. Algumas commodities físicas requerem armazenamento adequado. Isso pode envolver custos significativos, especialmente para produtos perecíveis como grãos ou metais.

Existem também os riscos geopolíticos e ambientais. Conflitos políticos, mudanças regulatórias e desastres naturais podem impactar a produção e distribuição de commodities. Investidores devem estar cientes desses riscos.

A falta de rendimento é outra possível desvantagem das commodities. Diferentemente de ações ou títulos, elas geralmente não geram renda, como dividendos ou juros. O retorno vem principalmente da valorização do preço.

Outra questão é a do acesso limitado a investidores individuais. Alguns mercados de commodities são restritos a grandes players institucionais. Investidores individuais podem ter acesso limitado a contratos futuros ou outras formas de investimento em commodities.

Por fim, a desvantagem de que commodities exigem o entendimento de sua complexidade e conhecimento específico. Investir em commodities requer compreensão dos mercados, logística e fatores que afetam cada tipo de commodity. É importante estar bem informado para tomar decisões.

Fontes: Mundo Educação, Brasil Escola, Suno, Toro

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato