Taxa de juros real: o que é, como se calcula e como investir com ela?

A taxa de juros real é fundamental para o investidor, pois está diretamente ligada aos investimentos. Saiba como calculá-la nesta matéria!

27 de abril de 2021 - por Sidemar Castro


Você sabe o que é a taxa de juros real? Em poucas palavras, é equivalente à taxa nominal menos a inflação, ou seja, considera a perda do poder de compra causada pela inflação.

Além disso, é usada para determinar qual será o ganho real do investidor com uma aplicação financeira. Como a intenção ao investir é aumentar o patrimônio, é preciso que o investimento proporcione um retorno acima da inflação, isto é, um ganho real.

Nesse sentido, a taxa de juros real é muito importante ao investir, para saber se o patrimônio está crescendo apenas de forma nominal ou de forma real.

Por isso, nesta matéria, explicaremos como calcular os juros reais e mostrar os efeitos dessa taxa nos seus investimentos.

O que é a taxa de juros real?

A taxa de juros real nada mais é do que a taxa nominal descontada a inflação. Em outras palavras, é a taxa de juros que mede a rentabilidade dos investimentos, já descontando a inflação. É por isso que ela é chamada de taxa de juros real, porque reflete o quanto você de fato terá de retorno com certo investimento.

São os juros reais que apontam qual foi o aumento do seu patrimônio ao investir, porque a inflação corrói o poder de compra. Desse modo, se ela não for considerada, você não saberá o quanto realmente obteve de retorno. Por isso é essencial que o investimento tenha um ganho real, isto é, um retorno acima da inflação. Caso contrário, vai parecer que o seu patrimônio cresceu mas, na prática, você terá perdido poder de compra para a inflação.

Vale notar que a taxa de juros é chamada de taxa de juros real, apenas quando o valor estiver descontado a inflação do período. Se não houver o desconto, trata-se da taxa nominal, da qual falaremos a seguir.

Qual é a diferença entre os juros reais e os nominais?

A taxa nominal, também chamada de taxa aparente, é a taxa de juros informada pelas corretoras quando você procura por um título para investir, ou seja, é a taxa aparente da aplicação. A taxa nominal base do Brasil é a Selic.

Por outro lado, a taxa de juros real é a taxa nominal descontada a inflação. A diferença entre elas é que a nominal não leva em conta a perda do poder de compra causada pela inflação.

Já a taxa real considera essa perda do poder de compra. Por isso, ela indica se a aplicação terá um rendimento acima da inflação ou não.

Qual é a diferença entre a taxa Selic e os juros reais?

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, que influencia todas as outras  taxas de juros do país. Logo, ela é usada como referência para os juros cobrados no mercado.

Além do mais, a Selic é um recurso indispensável para controle da inflação, que reflete na taxa de juros real. No entanto, lembre sempre que a Selic não é uma taxa de juros real.

O que é a taxa aparente?

As taxas aparentes, também chamadas de taxas nominais, são aquelas que são efetivamente divulgadas pelo mercado. Imagine o seguinte cenário: caso você invista em um CDB com rendimento de 10% ao ano, essa porcentagem é a taxa aparente deste investimento.

Contudo, lembre-se que saber sobre a taxa aparente, não é o suficiente para você se decidir sobre qualquer investimento. Você terá, também, de avaliar os indicadores da inflação.

Como se calcula a taxa de juros real?

Para calcular a taxa de juros real, basta você descontar a inflação do período sobre a taxa de juros nominal do investimento. Dessa forma, a taxa de juros real é calculada com base em uma fórmula que considera a taxa nominal e a inflação como variáveis. A fórmula é essa bem aqui:

(1 + in) = (1 + r) * (1 + j)

Nessa equação, temos o seguinte:

  • in = taxa de juros nominal
  • r = taxa de juros real
  • j = inflação do período

Para você entender melhor, vamos usar um exemplo. Suponhamos que você invista R$ 10 mil durante o prazo de 2 anos, com um rendimento de 21%. Vamos considerar também que no mesmo período, a inflação foi de 8,5%. Assim, temos o seguinte cálculo:

(1+0,21) = (1+r) * (1+0,085)

1+r = 1,21 / 1,085

1+r = 1,11

r = 1,11 – 1

r = 0,11

Portanto, a taxa de juros real do investimento foi de 11%. Neste caso, você teria aumentado o seu poder de compra em 11%.

Vamos dar mais um exemplo. Imagine que você depositou R$ 10 mil na poupança, durante o período de 12 meses, e ao final resgatou o valor de R$ 10.350,00. Qual seria sua taxa de juros real? 

Primeiro, precisamos descobrir o juro nominal. Para isso, vamos pegar a rentabilidade e dividir pelo valor investido. Assim:

350 / 10000

Taxa de juro nominal = 3,5%

No mesmo período, a inflação fechou em 4,1%. Dessa maneira, a taxa real será:

(1+0,0,035) = (1+r) * (1+0,041)

1+r = 1,035 / 1,041

r = 0,99 – 1

r = – 0,57%

O resultado é, portanto, que a taxa de juros real da aplicação na poupança foi negativa. Isso significa que a aplicação não contribuiu para o aumento do patrimônio do investidor e também não cobriu a perda do poder de compra causada pela inflação.

Quais os efeitos da taxa de juros real nos investimentos?

A taxa de juros está diretamente ligada aos investimentos. Afinal de contas, é por meio dela que você vai saber o quanto de fato uma aplicação rendeu.

Portanto, para crescer o seu patrimônio no longo prazo, não deixe de levar em conta a taxa de juros real e procure sempre por ativos com retorno acima da inflação.

Agora que você já está por dentro desses conceitos e sabe como calcular, é essencial saber qual decisão de investimento melhor tomar, tendo como referência, os dois cenários abaixo.

Quais são as diferenças entre juros reais e juros nominais?

Os juros nominais e os juros reais são dois conceitos importantes na economia e nas finanças. Aqui estão as principais diferenças entre eles:

Juros Nominais

A taxa de juros nominal é a taxa declarada de uma operação financeira.

É a porcentagem que é paga em conceito de juros sobre uma quantidade de dinheiro acordada, sem levar em conta outras despesas de qualquer tipo.

Por exemplo, no caso da Selic, se ela estiver em 13,75% ao ano, essa é a taxa nominal.

Juros Reais

A taxa de juros real é a taxa nominal descontada da inflação. Ou seja, é quanto um investimento rende acima da inflação.

A taxa de juros real é aquela que realmente aumenta o capital de quem emprestou o dinheiro.

Em suma, é a taxa real que demonstra qual o ganho real do investidor, pois ela reflete o ganho obtido acima da inflação.

Como investir quando os juros reais estão altos?

Na hora de você investir, caso os juros reais estejam altos, é indicado a você buscar por ativos de Renda Fixa, como os títulos públicos ou CDBs, que ofertem retornos mais atrativos e maior estabilidade. 

Ademais, investimentos em Fundos Imobiliários ou nas ações podem ser pouco atraente, visto que o custo de oportunidade da Renda Fixa é maior.

Como investir quando os juros reais estão baixos?

Agora se o cenário for de juros reais baixos, você pode investir em títulos de maior risco e potencial retorno, como ações, FIIs, ETFs, BDRs ou em empreendimentos próprios.

Esses investimentos podem gerar retornos mais atraentes, considerando que o custo de oportunidade de investir em Renda Fixa é menor.

Então, curtiu este texto? Esperamos que você tenha aprendido mais sobre a fundamental taxa de juros real. Agora, aproveite que você já está aqui e leia, também, esta matéria sobre rentabilidade real e sua importância. Boa leitura!

Fontes: Toro Investimentos, Conteúdos, Terra Investimentos, Santander

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato