Qual é a lucratividade da Bolsa de Valores?

A lucratividade da Bolsa de Valores tende a ser maior quanto mais tempo o dinheiro fica aplicado, logo ela é uma opção para o longo prazo.

17 de março de 2022 - por Jaíne Jehniffer


Se você está pensando em investir ou já investe na bolsa, você já deve ter se perguntando qual é a lucratividade real da bolsa. Pensando nisso, hoje eu vou te contar em detalhes como é a lucratividade da Bolsa de Valores.

Bolsa versus mercado tradicional

Antes de falarmos sobre a bolsa em si, precisamos falar um pouco sobre o mercado tradicional. Isso porque, ele serve como um ponto de comparação.

Afinal de contas, sem ter algo com que comparar, como você vai saber se a lucratividade da bolsa de valores é boa ou ruim? No mercado tradicional, vamos pegar como exemplo a lucratividade da construção de um prédio para aluguel.

É complicado determinar a lucratividade de um prédio, já que para isso é preciso levar vários fatores em consideração. Por exemplo, é preciso analisar:

  • A região onde o prédio será construído;
  • Valor gasto com material;
  • Fonte dos recursos para construção;
  • Valor gasto com mão de obra.

Tudo isso é tão relativo, que fica difícil falar sobre esse mercado fora da vivência pessoal. A mesma coisa acontece na bolsa de valores.

No entanto, as variações da bolsa são exemplificadas. Ou seja, você consegue acompanhar a mudança de preço do momento que você comprou para outro.

No mercado tradicional isso não existe. Ao comprar um lote, por exemplo, você não consegue acompanhar em tempo real a valorização ou desvalorização dele.

O fato de ser possível acompanhar as oscilações da bolsa faz com que muitos investidores fiquem ansiosos. Logo, muitas pessoas acabam tomando atitudes com base nisso, o que é um problema.

A bolsa é a melhor opção para você?

Qual é o seu objetivo ao investir? O seu objetivo é de curto, médio ou longo prazo? Você vai precisar desse dinheiro em breve?

Saber qual é o seu objetivo e quando você pretende realizá-lo é essencial. Isso irá impactar na forma com que você irá investir e no seu rendimento na bolsa.

Vale destacar que o ideal é que você invista na bolsa com foco no longo prazo. Ou seja, se você está pensando em deixar o dinheiro na bolsa e tirar daqui dois meses, esquece. A bolsa não é uma boa opção para isso.

Portanto, se você quer investir no curto ou médio prazo, a renda fixa é uma opção melhor. Isso porque, na renda fixa você consegue aplicar em títulos com prazos menores.

Além disso, ela é uma opção de baixo risco. Sendo assim, você não corre um risco tão grande quanto na bolsa, já que a bolsa passa por oscilações constantes, principalmente no curto prazo.

Existem ainda a vantagem de que você não precisa ter um valor muito alto para investir. Algumas boas opções são:

Lembrando que isso não é uma recomendação de investimentos. Uma dica quando você for escolher um título é ficar de olho na liquidez e no imposto.

Em síntese, a liquidez é a facilidade com que você consegue resgatar a aplicação. Dessa maneira, ao escolher um título, verifique se ele pode ser resgatado antes ou se tem que esperar até o vencimento.

Desse modo, você consegue casar o resgate ou vencimento da aplicação com o prazo de realização do seu objetivo.

Já o imposto na renda fixa segue uma tabela regressiva. É preciso ficar de olho pois resgates muito antecipados têm uma alíquota muito alta de imposto.

Lucratividade da Bolsa de Valores

Por fim, agora eu vou te falar sobre o rendimento da bolsa de valores, se você for investir com foco no longo prazo e estiver preparado para lidar com as oscilações da bolsa.

Para você ter uma ideia sobre a rentabilidade da bolsa, vamos levar em conta a carteira que o Raul Sena, o Investidor Sardinha, criou para o canal.

Vale destacar que essa é uma carteira real, com dinheiro de verdade. Ela não é uma carteira teórica. Vamos considerar o retorno dessa carteira nos últimos 3 anos.

No primeiro dia da carteira, no dia 15 de fevereiro de 2019, a rentabilidade era de 0,91%. Nos primeiros meses, a carteira teve rentabilidade negativa. Por exemplo, em maio a carteira estava com -4,77%.

Entretanto, com o passar do tempo a carteira passou a apresentar resultado positivo. É por isso que não adianta querer investir na bolsa no curto prazo.

No dia 10 de julho de 2019, a carteira estava com uma rentabilidade de 25,06%. No mesmo dia, a rentabilidade do Ibovespa estava em 6.73%. Em outras palavras, a carteira do canal já estava ganhando do Ibovespa!

Já em janeiro de 2020, a carteira chegou ao seu pico de rentabilidade com um retorno de 67,14%. Na mesma época, o Ibovespa estava com um rendimento de 21,38%.

No decorrer dos anos, a carteira passou por altos e baixos. Inclusive, neste meio tempo tivemos a pandemia. Com ela, a bolsa passou por uma forte queda e o Raul aproveitou para comprar bons ativos com preço baixo.

1- Rendimento médio da bolsa

No fim das contas, a carteira de ações do canal está com uma rentabilidade média de cerca de 17%. No entanto, você não deve esperar uma rentabilidade de 17% na sua carteira de ações.

Isso porque, a sua carteira pode ter um retorno maior ou menor. Até porque, o período econômico que você vai passar, impacta no resultado da sua carteira.

Por exemplo, uma pessoa que investiu durante a queda da bolsa quando a pandemia estourou, tem uma lucratividade com a bolsa bem diferente de quem investiu quando a bolsa já tinha se recuperado.

2- Rendimento da bolsa versus renda fixa

Você pode sempre esperar um rendimento da bolsa acima da renda fixa. Isso desde que, você invista em boas ações. Para você ter uma ideia, se você pegar o Ibovespa anualizado, ele ficou em 11.8%.

Entretanto, o Ibovespa inclui muitas empresas, boas e ruins. Porém, ao selecionar só empresas boas, você consegue um retorno mais alto.

É preciso levar em conta também que os títulos de renda fixa têm prazo de vencimento. Sendo assim, sempre que um título vence, você tem que pagar o IR e reinvestir o dinheiro.

Esse processo faz com que você perca dinheiro duas vezes. A 1º vez é quando você paga o imposto. A 2º é a quebra que você faz na curva dos juros compostos.

Em relação aos impostos, a bolsa também tem tributos. Mas, até o momento, esse tributo é descontado apenas se você vender as ações.

Como estamos falando sobre investimento de longo prazo, você não iria vender as ações, logo, não teria que pagar imposto.

Já em relação à curva de juros compostos, acontece que os juros viram uma bola de neve. Dessa forma, quanto mais tempo você manter a aplicação, maiores são os juros.

Se você interromper isso, você deixa de ganhar o dinheiro que iria render se a aplicação fosse mantida. Lembrando que na bolsa você precisa reinvestir os proventos para usufruir do efeito dos juros compostos.

Enfim, gostou de aprender sobre a lucratividade da bolsa de valores? Então assista ao vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha e entenda mais sobre o rendimento da bolsa:

E aí, gostou de aprender sobre a lucratividade da bolsa de valores? Então aproveite para conferir também: Por que você NÃO deve criar uma carteira de investimento para o seu filho

Fonte: Roteiro de Raul Sena.

O que acontece se não declarar o Imposto de Renda? Testei na PRÁTICA!

Fazer faculdade no Brasil vale a pena? A realidade é difícil de engolir

Ibovespa caindo! – Onde estou investindo para proteger o meu dinheiro?

A enorme BOMBA que pode enterrar de vez o Brasil