Fundos de Renda Variável: o que são, como funcionam e por que investir


Os Fundos de Renda Variável são um conjunto de ativos dessa categoria. Nesse sentido, a diferença é que os papéis são selecionados por um gestor financeiro e você não escolhe as rendas uma por uma.

Assim, para diminuir os riscos, é sempre bom ter diversidade nos investimentos. Então, a renda variável se torna uma ótima opção nesse caso. Afinal, é a maneira mais fácil e prática de investir nessa categoria e diversificar os investimentos.

Apesar disso, a chance de um fundo de renda variável obter uma rentabilidade superior à das aplicações tradicionais está diretamente relacionado aos objetivos de longo prazo.

Dessa forma, esse tipo de fundo é aquele cuja remuneração ou retorno de capital não pode ser dimensionado no momento exato da aplicação. Então, pode variar positiva ou negativamente, seguindo as expectativas do mercado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O que são os Fundos de Renda Variável?

Fundos de Renda Variável: o que é, como funciona e por que investir

SHS Investimentos

Essa categoria de fundos é como uma carteira de investimentos já pré-selecionada. Ou seja, um conjunto de ativos da categoria renda variável. Logo, a diferença entre investir em um fundo e adotar uma carteira recomendada é que com os fundos de renda variável você não pode alterar os papéis.

Afinal, cada fundo de investimento conta com um gestor financeiro. Logo, é ele o profissional destinado para selecionar os ativos e acompanhar de perto as movimentações do mercado para você. Ou seja, o objetivo desse gestor financeiro é buscar a melhor performance possível para a carteira de investimentos.

Dessa forma, fica para o investidor o trabalho de monitorar os resultados desse fundo, por meio dos relatórios que são emitidos, geralmente a cada mês. Assim, você quem decide se é um bom negócio manter ou vender a sua parte nesse fundo de renda variável, ou seja, sua cota.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por fim, os rendimentos e taxas do fundo são distribuídos entre os investidores de maneira proporcional, ou seja, de acordo com o número de cotas adquiridas. Então, quanto maior o investimento, maior a possibilidade de ganhos, como também de tributações.

Tipos de Fundo de Renda Variável

Fundos de Renda Variável: o que é, como funciona e por que investir

Só Sergipe

Um fundo de renda variável vai ser classificado conforme a distribuição de seus ativos. Nesse sentido, um ativo financeiro é um instrumento destinado às pessoas que desejam direcionar seus recursos para investimento.

Então, as empresas que buscam recursos para expandir seus negócios vão para o mercado de capitais e vão emitir ações. Essas ações são ativos financeiros de renda variável.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Dessa forma, também são considerados investimentos de renda variável:

  • Câmbio (destinado a investidores arrojados, porém o investidor pessoa física pode investir via fundos de investimento);
  • Ouro (destinado a investidores arrojados, porém o investidor pessoa física pode investir via fundos de investimento);
  • Derivativos (destinado a investidores arrojados);
  • e Fundos Imobiliários.

Conforme a ANBIMA, para poder ser considerado um fundo de tal categoria, ele deve contar com um portfólio de pelo menos 67% do patrimônio alocado em investimentos considerados de renda variável. Além disso, os fundos também são divididos em subcategorias correspondentes aos ativos que fazem parte desse portfólio.

Ações

Fundos de Renda Variável: o que é, como funciona e por que investir

Investir e Enriquecer

Um dos ativos mais famosos são as ações. Elas são como pequenas frações do capital de uma empresa. Apesar disso, muitas pessoas têm receio em começar a investir em ações. Pois, além de serem muitas opções, também é necessário realizar análises mais complexas do mercado antes de tomar a decisão de compra.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em um fundo de renda variável em ações, a grande vantagem é que esse trabalho fica a cargo do gestor. Nesse sentido, para gerar resultados positivos, ele vai seguir as tendências do mercado e as regras estabelecidas pelo fundo.

Além disso, existem diversas opções no mercado, como, por exemplo, focado em pequenas empresas, ou que priorizam empresas que possuem política de diversidade na contratação e até mesmo aquelas que apoiam a conservação do meio ambiente.

Commodities

Fundos de Renda Variável: o que é, como funciona e por que investir

Zahl

Os chamados commodities são matérias-primas essenciais. Ou seja, produtos de baixo nível de industrialização. Geralmente, são comercializados em altas quantidades e não dependem de marcas ou empresas específicas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Podem ser, por exemplo, commodities agrícolas, de mineral, financeira ou de recursos energéticos. Para investir é preciso aplicar em contratos futuros ou em um fundo de renda variável que englobe esse ativo.

Derivados

Contábeis

Esse tipo de ativo é aquele que deriva do comportamento de outro produto, o ativo-objeto. Assim, o valor dele oscila seguindo outro indicador, um produto ou ativo. O investimento em derivados é de alto risco, que normalmente tem fins de alavancagem ou hedge, que é a proteção contra a desvalorização.

Os fundos de renda variável que tem entre seus ativos os derivados servem como um amortecedor desses riscos, devido a sua diversificação. Apesar disso, todo investimento, incluindo especialmente os em renda variável, também traz os seus riscos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Imóveis

Certifiquei

Os também muito conhecidos fundos imobiliários, que é um conjunto de frações de empreendimentos imobiliários ou ativos do setor.

Como, por exemplo, frações de empreendimentos como lajes corporativas, shopping centers e galpões. Também conhecidos como FIIs de Tijolo. Apesar disso, a maioria do portfólio é composto por ativos do setor, como CRIs e LCIs, por exemplo, conhecidos também como FIIs de Papel.

Vantagens do investimento em Fundos de Renda Variável

Rebel Blog

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Os perfis de investidor mais indicados para esse tipo de investimento são os perfis moderado e arrojado, que tenham objetivos para longo prazo. Além disso, é de suma importância ler com cuidado a descrição do fundo, suas regras e seus objetivos. E também acompanhar a performance passada e checar a classificação de risco.

As principais vantagens dos fundos de renda variável são:

  • Diversificação de Investimentos: por ser um conjunto de ativos isso já conta como uma boa diversificação para a sua carteira, mesmo sendo apenas em um único fundo.
  • Tributações menores: pelo objetivo de incentivar investimentos em ações, o fundo fica sujeito a regras específicas de tributação, com alíquotas menores. Por exemplo, não há incidência do IOF e a taxa do IR é de 15% independente do prazo de permanência.
  • Aporte Inicial e Potencial de Rendimento: é possível começar investindo menos, principalmente se você considera que está adquirindo uma carteira diversificada, com uma administração profissional. Na descrição do fundo indica qual o aporte inicial, porém os valores costumam ser entre R$ 100 até R$ 10 mil.
  • Facilidade e gestão experiente: além da facilidade desses fundos, toda a administração fica por conta de profissionais mais familiarizados com o mercados financeiros, além de dedicados para essa função de administração financeira de ativos.

Agora que você conhece sobre os investimentos em renda variáveis veja sobre os Tipos de renda fixa – Vantagens, desvantagens, opções e como escolher

Fontes: Warren e FIIs.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Imagens: Blog Clear; SHS Investimentos; Só Sergipe; Investir e Enriquecer; Zahl; Contábeis;  Certifiquei e Rebel Blog.


Conte-nos a sua opinião...