Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar


Os investimentos alternativos são os ativos fora do mercado tradicional. Geralmente eles possuem baixa liquidez e podem proporcionar altos retornos.

Um dos motivos principais que levam as pessoas a aplicarem em investimentos alternativos, é diversificar a carteira de investimentos, já que eles possuem baixa correlação com o mercado financeiro tradicional.

Sendo assim, ao realizar investimentos alternativos, é possível diversificar a carteira visando a diluição dos riscos e a potencialização dos retornos, já que esses ativos podem proporcionar bons rendimentos.

O que são investimentos alternativos?

Os investimentos alternativos são alguns tipos de ativos fora do mercado tradicional. Alguns desses ativos são novos e ainda estão passando por um processo de expansão conforme a demanda por eles aumenta. Porém, nem todos os investimentos alternativos são novos, alguns são bem conhecidos e estão presentes no mercado há bastante tempo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

No entanto, geralmente eles são mais conhecidos pelos investidores avançados. Inclusive, durante muito tempo, os investimentos alternativos eram restritos apenas para os investidores com alto patrimônio líquido ou investidores institucionais.

Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar

Trovo academy

Por isso, apesar de sempre ter existido opções de investimentos alternativos, eles não eram tão populares. Entretanto, com o aumento da procura por diversificação da carteira, os investimentos alternativos estão se popularizando.

Sendo que os investimentos alternativos são vistos como uma boa opção para diversificação, pois possuem baixa correlação com o mercado financeiro tradicional. Além disso, como eles apresentam baixa liquidez, os investidores esperam conseguir rendimentos consideráveis com a aplicação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Apesar disso, já surgiram alguns ativos fora do mercado tradicional que possuem um pouco mais de liquidez e que estão se expandindo para os investidores do varejo, como, por exemplo, ETFs e fundos mútuos.

Investimentos alternativos versus tradicionais

Os investimentos alternativos são os ativos que não estão disponíveis no mercado tradicional. Eles são caracterizados por:

  • Baixa liquidez;
  • Baixa correlação com mercados;
  • Ativos em mercado privados e públicos;
  • Acionistas ativos;
  • Quase sempre estão concentrados em mercados ineficientes.
Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar

Urbe

Já os investimentos tradicionais são aqueles mais comuns no mercado como, por exemplo, ações e renda fixa. Esses investimentos são caracterizados por: 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
  • Alta liquidez;
  • Alta correlação com mercados;
  • Acionistas passivos;
  • Ativos em mercado públicos.

Vantagens e desvantagens dos investimentos alternativos

Uma das principais vantagens dos investimentos alternativos é a possibilidade de obter rendimentos mais altos do que os ativos do mercado tradicional. Existe ainda a vantagem de que os investimentos alternativos podem ser usados para diversificar a carteira, já que eles passam por variações diferentes dos ativos tradicionais.

Em contrapartida, como desvantagem temos os riscos. Um dos riscos principais é o risco de liquidez. Em síntese, como possuem baixa liquidez, existem poucos compradores e vendedores no mercado, o que pode dificultar a definição de um preço justo pelos ativos. 

Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar

Suno

Opções de investimentos alternativos

Existem muitas opções de investimentos alternativos no mercado. Antes de escolher uma, não deixe de considerar o seu perfil de investidor e seus objetivos pessoais. Considerar seu perfil e objetivos é importante, já que os investimentos alternativos geralmente possuem baixa liquidez e são de longo prazo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, como possuem um risco elevado, eles são uma opção utilizada sobretudo para investidores agressivos. Enfim, confira algumas opções de investimentos alternativos:

1- Venture capital

Este tipo de aplicação funciona de maneira similar a um fundo de investimento com alto risco. Em resumo, por meio dele, os investidores injetam recursos em empresas de pequeno ou médio porte que estão passando por um processo de expansão.

Nesse sentido, o venture capital pode ser uma opção para as empresas novas no mercado. Contudo, é importante que essas companhias já tenham apresentado um bom crescimento e necessitem de investimentos para crescerem ainda mais.

Desse modo, usar os recursos financeiros derivados do venture capital é uma maneira de acelerar o crescimento do negócio. Nesse sentido, se os recursos forem bem aplicados, tanto a empresa quanto os investidores podem ter bons retornos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar

Pricesf

2- Fundos special situations

Esse tipo de fundo pode ser aplicado em companhias e focar na estruturação de operações que geralmente envolvem crédito. De maneira geral, eles optam por buscar ativos com baixa liquidez que, por vezes, estão depreciados e que são comprados com o objetivo de rendimentos no médio e longo prazo.

Vale destacar que este investimento alternativo possui um alto nível de risco. Isso porque, não é possível determinar com antecedência onde os recursos do fundo serão aplicados, já que eles não possuem uma característica específica.

3- Fundos de investimento em participações (FIP)

A intenção dos fundos de investimento em participação é aplicar em companhias de capital aberto ou fechado, com a intenção de participar de forma ativa da sua gestão. Dessa forma, da mesma maneira que o venture capital, as empresas que fazem parte do fundo geralmente estão em fase de desenvolvimento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Logo, o gestor do fundo participa de forma ativa nas decisões das companhias. Sendo que, isso pode ocorrer através de um acordo com acionistas, compra de ações suficientes para garantir o controle ou outros tipos de procedimentos que possibilitem essa participação ativa.

4- Private equity

O private equity é uma das modalidades mais conhecidas dos fundos de investimento em participação. Por meio dela, o FIP compra uma parte considerável de companhias de capital fechado e além de injetar recursos financeiros, também passam a participar do capital social dessas empresas.

Capital research

Assim como no FIP, ocorre uma participação ativa na gestão. O fundo então trabalha ativamente para obter resultados positivos e depois ele pode optar por vender sua participação na empresa e ficar com os lucros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

5- Fundos de infraestrutura

Os fundos de infraestrutura funcionam de maneira parecida com os private equity. No entanto, eles se diferenciam em relação ao tamanho e risco. Como os projetos de infraestrutura normalmente são grandes, a carteira deste tipo de fundo não é muito diversificada. Entretanto, o risco do projeto não dar certo é menor que os fundos de Private Equity.

6- Títulos públicos judiciais

Os títulos públicos judiciais são ordens judiciais de pagamento emitidas pelo Tribunal de Justiça quando determinada ação contra o governo ou um órgão público transita em todas as instâncias jurídicas. Sendo que a sentença envolve o pagamento em dinheiro de certo valor para uma empresa ou pessoa física. 

7- Criptomoedas são investimentos alternativos

As criptomoedas são as moedas digitais que podem ser utilizadas em diferentes tipos de transações financeiras. Essas moedas não existem fisicamente e são mantidas por tecnologia de ponta. Para adquirir criptomoedas basta abrir uma conta em uma exchange, corretora especializada na venda de criptoativos.

Fdr

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Essa modalidade de investimento alternativo está se popularizando entre os investidores. Porém, vale destacar que esse é um tipo de aplicação com alto risco, já que além de não serem reguladas, essas moedas passam por fortes oscilações de preços.

8- Crowdfunding imobiliário

São as plataformas de financiamento coletivo que reúnem recursos de pequenos investidores para adquirir um imóvel comercial ou residencial, que é utilizado para gerar renda por meio do aluguel que, posteriormente, é distribuído entre os investidores.

9- Empréstimo peer-to-peer

Este tipo de empréstimo foi desenvolvido com a intenção de facilitar os empréstimos entre indivíduos e pequenas empresas que não conseguiram recursos por meios tradicionais. Logo, as plataformas de empréstimo peer-to-peer reúnem credores e mutuários e usam algoritmos para analisar o crédito dos mutuários e estabelecer as condições.

10- Obras de arte

Apesar de não ser uma prática tão comum no Brasil, em alguns países investir em obras de arte é uma prática bem comum. Esse tipo de investimento alternativo geralmente exige uma aplicação alta, o risco é alto e a liquidez é baixa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Investimentos alternativos, o que são? 11 opções para diversificar

Lopes

Você pode investir nos mais diversos tipos de obras de arte, tais como telas, esculturas, fotos e gravuras. É claro que quanto mais conceituado e respeitado for o artista, maior será o valor da obra. Enfim, além das obras de arte, você também pode investir em alguns outros tipos de ativos como vinhos e carros.

11- Ouro

A grande vantagem do ouro é que ele não pode ser criado pelo ser humano. Sendo assim, o governo não consegue produzi-lo quando desejar, o que significa que o ouro é escasso. Além disso, este metal precioso é valioso há muito tempo e a perspectiva é que ele continue a ter valor no futuro.

Essas características do ouro fazem com que ele seja uma ótima opção de reserva de valor. É possível investir em ouro diretamente, em contratos de ouro ou ainda através de fundos focados em investir em ouro. Para saber como investir em ouro leia: Como investir em ouro? Principais vantagens, riscos e formas de investir

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Fontes: Black rock, Xpi, Terra econômico e Renovainvest

Imagens: Undb, Trovo academy, Urbe, Suno, Capital research, Fdr, Lopes e Pricesf


Conte-nos a sua opinião...