Lastro: saiba tudo sobre o que é e como funciona


O lastro é um atestado de valor de um ativo. Ou seja, o lastro serve como um tipo de comprovação do valor de certo ativo.

Os investimentos costumam ter algum tipo de lastro. Neste caso, ele serve para garantir que o ativo em questão tem certo valor, que será observado no resgate ou na venda.

Alguns exemplos de ativos são: ações, letras de crédito do agronegócio e certificado de recebíveis imobiliários.

Já em relação às criptomoedas, a maior parte não tem lastro, já que são descentralizadas. Mas algumas podem usar algum tipo de moeda como lastro.

Como o lastro funciona?

O lastro funciona como um tipo de garantia de que algo tem valor. Sendo assim, ele funciona como uma garantia para operações financeiras.

Um detalhe importante é que nem sempre o lastro é físico. Além disso, ele pode ser vinculado a outro ativo como, por exemplo, dinheiro, imóveis, máquinas, empresas, investimentos ou veículos.

Portanto, a finalidade do lastro é a de assegurar um ativo. Um exemplo disso é o certificado de ouro. Em resumo, esse tipo de certificado é uma maneira de atestar a quantidade e qualidade das barras de outro.

Sendo que a custódia do ouro é de responsabilidade de terceiros, como bancos ou empresas especializadas e autorizadas.

Com isso, ele possibilita a transferência e posse com menos riscos. Isso porque ele evita que o transporte do metal precioso seja feito.

Lastro no mercado financeiro

O lastro está presente no mercado financeiro, servindo de garantia em certas operações.

Um exemplo disso, é o empréstimo e os investimentos lastreados em títulos públicos, títulos privados, imóveis e produtos do agronegócio.

Portanto, o lastro tem um importante papel na economia mundial e no mercado financeiro.

Importância

O lastro existe em vários tipos de ativos no mundo dos investimentos. No entanto, apesar de ele servir como garantia para o ativo, ele não retira os riscos existentes nos investimentos.

Isso ocorre pois o lastro e os riscos são fatores diferentes. Em resumo, o lastro tem como intuito mostrar o valor que certo ativo tem no mercado financeiro.

Por outro lado, os riscos estão relacionados com as chances de perdas. Sendo que essas perdas podem ser causadas por diversas variáveis.

Sendo assim, o lastro apenas garante que certo ativo tem determinado valor que será observado no resgate ou na venda. Mas os ativos ainda têm vários riscos causados por vários fatores.

Inclusive, o nível de risco varia de acordo com o tipo de ativo. Portanto, um investimento pode resultar em prejuízos, mesmo tendo rastro.

Enfim, quando você for investir, não leve em conta apenas o fato do ativo ter um lastro. Considere também o nível de risco de acordo com o seu perfil de investidor.

Ativos e criptoativos têm lastros?

Sim, alguns exemplos disso são:

1- LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA) são títulos de renda fixa emitidos por bancos.

O dinheiro captado com esses títulos é destinado, respectivamente, para o setor imobiliário e do agronegócio. Sendo assim, esses títulos têm lastro nas operações financeiras vinculadas a cada nicho.

2- CRI e CRA

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA) também são títulos de renda fixa. Eles são lastreados em créditos do setor imobiliário ou do agronegócio.

3- Ações

Em síntese, as ações são frações de uma empresa de capital aberto. Sendo assim, ao investir em ações, você se torna sócio da empresa. No caso das ações, a parcela da empresa vinculada à ação é o lastro do ativo.

4- Fundos de investimento

Em síntese, os fundos de investimento funcionam como uma reunião de investidores focados em investir em um ativo ou setor em específico.

Por exemplo, existem fundos de ações, imobiliários e multimercado. Sendo assim, o lastro de um fundo de investimento vai depender do tipo de ativo que o fundo investe. 

5- Moedas digitais

Por fim, temos as criptomoedas que não tem um lastro financeiro, como os ativos anteriores. Como são descentralizados, eles não costumam ter lastro em bens, dinheiro e afins.

Contudo, existem algumas exceções como, por exemplo, a Tether (USDT) que é lastreada em dólar. Dessa forma, um dólar corresponde a 1 Thether.

LEIA MAIS

Conte-nos a sua opinião...