Bolha financeira: o que é, exemplos e como se proteger

13 de agosto de 2021 - por Jaíne Jehniffer


A bolha financeira é o nome dado para um fenômeno em que as pessoas passam a comprar grandes quantidades de determinado ativo, somente porque outras pessoas estão fazendo isso. 

Com a grande demanda, os preços dos ativos sobem até um nível insustentável, quando então a bolha estoura. Consequentemente, as pessoas que compraram o ativo por preços elevados ficam no prejuízo.

Boa parte das pessoas entram em uma bolha sem perceber que estão fazendo isso. Porém, outras entram acreditando que irão sair quando o ativo estiver valorizado e terão grandes prejuízos, mas a verdade é que a maioria dos investidores sai no prejuízo.

O que é bolha financeira?

A bolha financeira, também conhecida como bolha econômica ou bolha especulativa, é o nome dado para um cenário onde os ativos passam a ser negociados por um preço muito acima do seu valor real. Em outras palavras, na bolha financeira ocorre uma alta abrupta no preço dos ativos e, posteriormente, ocorre uma forte e rápida queda de preços.

Bolha financeira: o que é, exemplos e como se proteger

Investificar

John Templeton, considerado como um dos maiores investidores do mundo, afirmou que: mercados em alta nascem do pessimismo, crescem no ceticismo, maduram no otimismo e morrem na euforia. Ou seja, no otimismo é onde a bolha começa a se formar e o efeito manada começa a acontecer. A euforia é marcada pelo otimismo irracional que não se sustenta e por fim, a bolha estoura.

Warren Buffett, que também é considerado como um dos maiores investidores do mundo, afirmou que a bolha econômica começa quando as pessoas veem seus vizinhos enriquecendo ao investir. Essa situação causa ganância nas pessoas e elas começam a comprar os mesmos ativos, o que leva ao efeito manada. Logo, chega um momento em que o preço do ativo está tão distante do seu valor, que a bolha estoura.

Como uma bolha financeira se forma?

É difícil determinar o que causa o início da procura por determinado ativo. Porém, é fato que uma bolha cresce principalmente por causa do efeito manada. Em resumo, o efeito manada ocorre quando muitas pessoas passam a seguir as atitudes de outras pessoas.

Ou seja, as pessoas que seguem o efeito manada repetem os atos de outras pessoas sem pararem para analisar racionalmente a situação. Nesse sentido, na bolha financeira as pessoas passam a comprar ou vender ativos somente porque outras pessoas estão fazendo isso.

Bolha financeira: o que é, exemplos e como se proteger

Capital research

Geralmente, no começo de uma bolha, as pessoas começam a comprar muito determinado ativo. Com o aumento da demanda frente à oferta, a lei da oferta e demanda entra em ação. Desse modo, o ativo passa a se valorizar. Com a valorização, as pessoas passam a ver o ativo como uma oportunidade de investimento.

Dessa maneira, mais pessoas passam a comprar o ativo, o que faz com que o preço suba ainda mais. O preço continua a subir até um ponto em que as pessoas percebem que o valor real do ativo não corresponde ao preço que ele está sendo negociado.

Neste momento, as pessoas passam a colocar os ativos à venda. Esse processo de vendas ocorre em massa, o que faz com que os preços caiam abruptamente e resultem no estouro da bolha econômica.

Estágios de uma bolha financeira

Normalmente as bolhas financeiras passam por alguns estágios. Hyman P. Minsky, economista norte-americano e especialista em crises financeira, lista cinco fases principais:

1- Deslocamento: Os investidores passam a perceber e se encantarem por algo novo no mercado como, por exemplo, um produto, tecnologia ou oportunidade de investimento com retorno alto e fácil. 

2- Boom: Uma grande quantidade de investidores passam a aplicar em um ativo, fazendo com que os preços subam rapidamente. Nesse estágio o ativo passa a ganhar cada vez mais atenção, até mesmo por parte da imprensa. Muitas pessoas investem nessa etapa, pois ficam com medo de perderem a oportunidade de ganhar dinheiro fácil.

Bolha financeira: o que é, exemplos e como se proteger

V4 company

3- Euforia: A sensação generalizada é de otimismo e os preços sobem muito. É importante notar que nesse estágio a maioria das pessoas não questiona a solidez do investimento, elas simplesmente ficam contagiadas pelo sentimento de euforia.

4- Lucro: As poucas pessoas que conseguem vender os ativos no pico da valorização, obtêm altos lucros. No entanto, é muito difícil para quem está dentro de uma bolha financeira perceber os sinais que indicam que está na hora de vender os ativos.

5- Pânico: Quando as pessoas começam a perceber que se trata de uma bolha a passam a vender os ativos, os preços despencam de forma abrupta. A grande parte dos investidores que entram em uma bolha não saem com lucro na quarta etapa, na verdade, elas costumam sair com prejuízo na quinta fase.

Exemplos de bolhas

Na história da economia mundial, são encontrados diversos exemplos de bolhas financeiras. Dentre elas, podemos citar três que tiveram grandes impactos:

1- Bolha das tulipas

Muitos historiadores consideram a bolha das tulipas como a primeira onda especulativa do mundo. A bolha começou a se formar quando as pessoas começaram a comprar tulipas na Holanda freneticamente. Sendo que, a razão para este comportamento é até hoje desconhecida.

Com a elevação da demanda por tulipas, os preços subiram. As pessoas estavam tão desesperadas atrás de tulipas, que estavam vendendo seus patrimônios para comprar mais. Então, quando o otimismo irracional atingiu o seu pico, a bolha estourou. As pessoas pararam de comprar tulipas, o preço caiu e muitas pessoas que compraram tulipas por preços altos, tiveram prejuízo.

Suno

2- Bolha da internet

Também conhecida como bolha ponto com, esta bolha financeira foi uma das maiores bolhas da bolsa de valores norte-americana. Em síntese, com a revolução da internet, várias empresas de tecnologia abriram o capital e passaram a ser negociadas na bolsa de valores.

Entretanto, muitas dessas companhias não eram lucrativas e estavam sendo negociadas por múltiplos bem altos. Logo, quando as pessoas começaram a notar que nunca iriam conseguir o retorno almejado, elas passaram a  vender as ações. O resultado disso é previsível: muitos investidores que compraram ações caríssimas, tiveram prejuízos.

3- Crise do subprime

Por fim, temos ainda a crise do subprime, também conhecida como crise de 2008. Esta é considerada como a mais recente bolha especulativa. Para entender esta bolha, é preciso analisar a situação que os Estados Unidos estavam passando.

Basicamente, a população norte-americana, por vários motivos, estava passando por um momento de muitos financiamentos imobiliários. Um dos motivos para isso, era a taxa de juros baixa. Além de concederem financiamentos sem muitas garantias, os bancos agrupavam os financiamentos e vendiam como ativos no mercado.

Codemec

Sendo que esses ativos eram considerados como oportunidades de investimentos, pois ofereciam bons retornos. O mercado foi aquecendo cada vez mais. Dessa forma, mais investidores aplicavam nos títulos e mais bancos ofereciam empréstimos sem garantia.

Contudo, por diversos motivos, inclusive pelo aumento na taxa de juros, as pessoas deixaram de pagar seus financiamentos. Quando os investidores notaram os calotes, eles tentaram vender seus ativos e os preços tiveram uma forte queda. Essa situação gerou uma crise que começou nos Estados Unidos, mas que atingiu vários outros países.

Consequências e como se proteger

Quando uma bolha financeira estoura, ela pode resultar em grandes prejuízos para os investidores. Sendo que, a bolha pode ser tão séria que impacta as empresas e resulta em uma crise econômica. Sendo assim, uma bolha especulativa pode ter consequências para a economia como um todo de um país ou de vários países. 

Para se proteger contra uma bolha financeira, é preciso conhecer o mercado e analisar os ativos antes de investir. Por exemplo, ao investir em ações evite seguir o efeito manada. Ao invés disso, verifique os fundamentos da empresa e invista de maneira racional.

Além disso, se determinado ativo estiver passando com uma valorização, procure descobrir o motivo dessa elevação de preços. Outra dica é diversificar a carteira de investimentos. Por meio da diversificação você potencializa seus ganhos e ainda dilui os riscos.

Ou seja, ao diversificar você consegue reduzir, pelo menos em partes, os efeitos que uma bolha financeira teria na sua carteira. Para aprender como diversificar corretamente, veja o vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha:

E aí, gostou de aprender o que é bolha financeira? Então aproveite para aprender também sobre Bolha imobiliária, o que é? Causas, crise de 2008 e cenário brasileiro

Fontes: Nubank, SunoRenovainvest

Imagens: Investificar, Capital research, V4 company, Codemec, Suno e Medium

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos