Entenda o que é título de capitalização e se vale a pena investir


Os títulos de capitalização são uma modalidade de aplicação oferecida por instituições bancárias, onde os clientes realizam aportes e participam de sorteios. Ao final do prazo do título, o cliente faz o resgate do dinheiro com uma pequena correção. 

Apesar de renderem um pouco, os títulos de capitalização não podem ser considerados como investimentos, já que o retorno fica abaixo da inflação. Portanto, na prática o cliente continua perdendo poder de compra. 

Geralmente os clientes que optam por títulos de capitalização, são pessoas que não conseguem juntar dinheiro por conta própria, e veem nos títulos uma maneira de se obrigarem a poupar.

O que é título de capitalização

O título de capitalização é um título de crédito, onde o cliente paga um valor mensal (ou de acordo com o prazo escolhido) para poder participar de sorteios. Geralmente, eles são oferecidos pelos bancos, que propõem o desconto mensal de determinado valor da conta do cliente, para que ele possa participar durante um período de sorteios com prêmios em dinheiro. 

Os títulos de capitalização são regulados pela SUSEP – Superintendência de Seguros Privados. Porém, apesar de serem regulados pela SUSEP, as garantias dos títulos derivam dos próprios bancos. Logo, eles não são como a poupança, que conta com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

Como funciona

Existem diversos tipos de títulos de capitalização emitidos pelas instituições financeiras, no entanto, todos funcionam de maneira similar. Primeiramente, ao optar por adquirir o título, o cliente deve escolher qual será a maneira de pagamento: Pagamento Único (PU), Pagamento Mensal (PM) ou Pagamento Periódico (PP). 

No pagamento estão embutidos diversos custos, como as despesas administrativas da instituição (cota de carregamento) e o custeio dos prêmios (cota de sorteio). Sendo assim, não é todo o dinheiro aplicado que terá rentabilidade. Na verdade, apenas uma parte, chamada de cota de capitalização, é que rende. 

Em relação aos retornos, a maioria dos títulos de capitalização possuem a rentabilidade atrelada à taxa referencial, que no momento está zerada e uma outra taxa definida no ato de compra, que deve ser no mínimo de 0,1%. Dessa forma, na prática o dinheiro não rende quase nada. 

Ao comprar o título, o cliente deve ainda tomar conhecimento de alguns prazos. O primeiro deles é o prazo de pagamento, que se refere ao tempo em que será realizado o pagamento do título. Além disso, existe o prazo de vigência, que é o período entre o início e o fim da aplicação. 

Por fim, temos o prazo de carência, que é o tempo mínimo que o cliente deve deixar o dinheiro aplicado. Do contrário, ele terá que pagar uma multa de até 10% do capital aplicado para realizar o resgate. 

Tipos

Os títulos de capitalização podem ser divididos, de acordo com os perfis dos consumidores, em quatro categorias:

1- Tradicional

Nessa primeira modalidade, o cliente só pode fazer o resgate integral do dinheiro aplicado ao final do prazo de vigência. Desse modo, caso opte por realizar o resgate antes, ele pode conseguir uma quantia inferior ao total aplicado. Sendo assim, a devolução total do dinheiro só é feita se o cliente não estiver em déficit no pagamento. 

2- Popular

Na opção popular, a prioridade são os sorteios com prêmios atrativos. Desse modo, para cada mês de validade do título é realizado, no mínimo, um sorteio. 

3- Compra programada

Essa opção é um pouco diferente das demais por dar a opção para o consumidor escolher no ato de compra, se ele prefere receber a quantia aplicada ou um serviço. 

4- Incentivo

O título de capitalização de incentivo é aquele ligado a um evento promocional de incentivo, realizado por agências bancárias. Para participar dos sorteios, os clientes devem manter os pagamentos em dia. 

Resgate do título de capitalização

Existem algumas modalidades de resgate de títulos de capitalização, são elas:

1- Resgate antecipado

Ocorre quando o cliente deseja a devolução do dinheiro aplicado, antes do final do prazo de vigência. Nesta opção, só é possível fazer o resgate de parte do valor aplicado.

2- Resgate parcial

Não são todos os títulos de capitalização que oferecem essa opção de resgate. Os que oferecem, por exemplo, possuem regras em relação ao valor máximo e mínimo, que deve permanecer com a instituição financeira. Enfim, no resgate parcial, o cliente pode solicitar uma parte do valor que ele aplicou. 

3- Resgate no final

O resgate no final do prazo de vigência traz consigo a correção pela taxa usada como base.

Por que o título de capitalização não vale a pena?

Os títulos de capitalização não valem a pena por possuírem diversas desvantagens, dentre elas:

1- Não é investimento

Para ser considerado como um investimento, um ativo deve trazer uma rentabilidade de preferência acima da inflação, o que muitas vezes não acontece com os títulos de capitalização. Ou seja, mesmo com retornos, os clientes ainda perdem poder de compra. 

2- Rende menos que a poupança

A rentabilidade dos títulos de capitalização é tão pequena, que fica abaixo da caderneta de poupança (que também rende pouco). Um dos motivos para isso acontecer é que apenas uma parte do dinheiro aplicado é destinado a cota de capitalização, já que as outras duas partes são voltadas para o sorteio e as taxas do banco. 

Outro motivo da rentabilidade ser pequena, é que ela é baseada na taxa referencial (que está zerada) e em uma pequena porcentagem definida no momento de compra do título. Em síntese, é melhor deixar o dinheiro em casa ou na poupança do que aplicado em títulos de capitalização. 

3- Liquidez

Existem algumas possibilidades de resgatar o dinheiro antes do prazo, mas existem regras e prazos de carência para isso. Dessa maneira, podemos considerar que os títulos de capitalização não possuem uma boa liquidez, já que o dinheiro deve ficar aplicado até o final do prazo.

4- Prêmios

Apesar da possibilidade de ganhar um prêmio chamar a atenção de muitas pessoas, na prática, as probabilidade de ganhar no sorteio são pequenas. Ou seja, parte do seu dinheiro será destinado aos prêmios, mas as chances de você ganhar são mínimas.

Para verificar quais as chances de ganhar o prêmio, é importante olhar qual a Ordenação e Identificação de Títulos no contrato. É nesta parte que consta a quantidade de títulos emitidos, sendo que quanto maior a quantidade, menor a probabilidade do cliente ganhar um prêmio.  

Por fim, vale considerar que grandes prêmios chamam mais a atenção das pessoas. Contudo, quanto maior for o prêmio, maior será a cota destinada a ele. Em outras palavras, quanto mais caro for o prêmio, mais dinheiro do cliente será destinado ao prêmio, restando uma parcela menor para a cota de capitalização.

5- Existem outras opções mais vantajosas

Existem diversas alternativas mais seguras do que os títulos de capitalização e que trazem uma rentabilidade muito mais atrativa. Algumas opções são: tesouro direto, CDBs, LCAs e LCIs. Portanto, antes de optar por título de capitalização, conheça algumas possibilidades de Aplicações financeiras, o que são? Importância, opções e como aplicar.

Fontes: Toro investimentos, Nubank e Toro radar

Conte-nos a sua opinião...