FIIs que estão muito baratos: alternativas para investir

No mercado existem muitas opções de bons FIIs que estão muito baratos. Os fundos imobiliários estão passando por um momento complicado. Em resumo, o aumento da Taxa Selic normalmente cria uma atração pela renda fixa. Logo, muitas pessoas estão saindo dos FIIs e indo para a renda fixa o que resulta na desvalorização das cotas dos FIIs.

9 de setembro de 2021 - por Jaíne Jehniffer


No mercado existem várias opções de bons FIIs que estão muito baratos. Os fundos imobiliários estão passando por um momento complicado.

Em resumo, o aumento da Taxa Selic normalmente cria uma atração pela renda fixa. Logo, muitas pessoas estão saindo dos FIIs e indo para a renda fixa, o que resulta na desvalorização das cotas dos FIIs.

Lembrando que, apesar de falarmos sobre algumas opções de FIIs que estão muito baratos, este texto não deve ser considerado como uma recomendação ou indicação de investimentos.

FIIs que estão muito baratos

Com o aumento da Taxa Selic o rendimento oferecido em títulos de renda fixa se torna muito atrativo. Desse modo, com o recente aumento da taxa, muitos investidores estão abandonando os fundos imobiliários e investindo em títulos de renda fixa. A consequência desse movimento é a desvalorização das cotas dos FIIs.

Se você investe em fundos imobiliários e ficou tentado a sair dos FIIs e investir somente em renda fixa, saiba que este não é o caminho mais recomendado. Isso porque, os fundos imobiliários possuem algumas características que a renda fixa não possui como, por exemplo, a maior parte do patrimônio dos FIIs está atrelado a imóveis.

Essa é uma vantagem dos FIIs, pois os imóveis passam por uma correção de acordo com a inflação. Dessa maneira, os preços dos imóveis vão se reajustando, os preços das cotas também passam por reajustes e a rentabilidade continua subindo.

"<yoastmark

Em contrapartida, nos títulos de renda fixa pré-fixada não existe esse reajuste. Para ter esse reajuste da inflação, é preciso recorrer aos títulos atrelados ao IPCA. Porém, comparando a rentabilidade desses títulos com os fundos imobiliários, os FIIs acabam ganhando.

Enfim, com essa desvalorização, este pode ser um bom momento para investir em bons fundos imobiliários que estão baratos. Afinal de contas, apesar dos títulos de renda fixa terem se tornado interessantes, os FIIs vão continuar a existir e proporcionar um bom retorno.

Opções de fundos imobiliários que estão baratos

Alguns exemplos de bons fundos imobiliários que estão baratos são:

1- TGAR11

O TGAR11 é um fundo imobiliário de Goiânia com diversos imóveis em Goiás e ativos espalhados por 17 estados e 83 municípios. Este FII está crescendo bastante e atualmente possui um patrimônio líquido de R$ 1,5 bilhões. Além disso, ele está com um Dividend Yield (DY) de 0,86% e está cotado em R$ 129,10. A taxa de administração é de 1,5% e a taxa de performance é de 30% do que exceder o CDI.

No momento, este fundo está cotado abaixo do seu valor patrimonial, já que o seu P/VP está em 0,99. Uma crítica que muitos investidores fazem a este fundo é o fato dele ter realizado novas emissões abaixo do valor da cota. Sendo assim, este tipo de emissão não privilegia as pessoas que já investiam nele.

"<yoastmark

O funcionamento deste fundo é bem diferente de alguns outros fundos disponíveis no mercado. Isso porque ele possui uma gestão bem ativa com equity de loteamento, equity de construção, ativo de shoppings, enfim, ele é quase um REIT. Dessa forma, ele possui uma vantagem competitiva muito grande em relação aos demais FIIs.

Apesar de ter uma boa estratégia e contar com uma gestão ativa, este fundo imobiliário possui um risco maior, já que, o desenvolvimento imobiliário pode ter problemas durante a realização da obra. Portanto, antes de investir neste fundo, considere não apenas o preço das cotas e o DY, verifique também os outros indicadores do fundo e se o nível de risco do FII condiz com o seu perfil de investidor.

2- MXRF11

O segundo na lista de FIIs que estão muito baratos, é o MXRF11, um fundo de papel. Em síntese, os fundos de papel investem em títulos relacionados ao setor imobiliário. O interessante é que estes fundos possuem um portfólio com títulos de renda fixa mais interessantes do que os que são oferecidos para os investidores de varejo.

Além disso, eles não vão perder rentabilidade quando a Selic sobe, já que a rentabilidade desses fundos está atrelada justamente à Selic, CDI ou ainda o IPCA. É claro que o preço da cota pode variar mesmo assim, afinal, os preços são determinados de acordo com a oferta e demanda das cotas no mercado.

Enfim, o MXRF11 possui um patrimônio líquido de R$ 1,5 bilhões e um Dividend Yield de 0,86%. A sua taxa de administração é de 0,90% ao ano e ele não possui taxa de performance. O preço da cota está em R$9,98 e o P/VP está em 0,99 o que é bem interessante para um fundo de papel.

Trisul

3- HCTR11

O HCTR11 é um fundo imobiliário administrado pela VÓRTX DTVM Ltda. Este fundo possui um risco considerável, já que ele trabalha com o desenvolvimento imobiliário. Sendo que o preço das cotas e rendimentos do fundo estão passando por uma queda acentuada, o que pode ser uma oportunidade se este fundo for condizente com os seus objetivos e perfil.

O patrimônio líquido do HCTR11 é de R$ 1,7 bilhões, o Dividend Yield é de 1,22% e o P/VP está em 1,07. O fundo cobra uma taxa de administração de 0,21% ao ano do Patrimônio Líquido (PL) e uma taxa de gestão de 0,99% ao ano do PL. No momento suas cotas custam R$ 123,41.

Para entender mais sobre o HCTR11 e os outros fundos imobiliários, veja o vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha:

E aí, gostou de conferir algumas opções de FIIs que estão muito baratos? Então aproveite para descobrir o quanto rende 60 mil em fundos imobiliários: quanto rende em dividendos

Fonte: Roteiro de Raul Sena

Imagens: Penso no Futuro, RiconnectInvestnews e Trisul

O que acontece se não declarar o Imposto de Renda? Testei na PRÁTICA!

Fazer faculdade no Brasil vale a pena? A realidade é difícil de engolir

Ibovespa caindo! – Onde estou investindo para proteger o meu dinheiro?

A enorme BOMBA que pode enterrar de vez o Brasil