Renda fixa que rende mais que ações – Três alternativas de investimentos


As pessoas que investem em renda variável, geralmente, acreditam que as ações proporcionam um retorno melhor do que a renda fixa. No entanto, existem alguns investimentos de renda fixa que rendem mais que ações.

Como a rentabilidade histórica do Ibovespa é de cerca de 11% ao ano, alguns ativos de renda fixa, como, por exemplo, os CDBs, rendem mais do que o Ibovespa.

Lembrando que, apesar de explicarmos sobre alguns investimentos de renda fixa que podem render mais do que ações, esse texto não deve ser considerado como uma recomendação de investimento.

Como a renda fixa funciona?

A renda fixa é um tipo de investimento, onde a forma de rendimento é informada no momento da aplicação. Esse rendimento pode ser prefixado, pós-fixado ou híbrido. Dessa maneira, no prefixado a taxa de juros permanece a mesma do momento da aplicação até o vencimento do ativo.

Já no pós-fixado, os títulos são atrelados a um indexador que varia. Por exemplo, o Tesouro Selic rende conforme as oscilações da taxa Selic, que é definida a cada 45 dias pelo Comitê de Políticas Públicas (COPOM). Ou seja, apesar de receber o nome de renda fixa, os títulos pós-fixados possuem um rendimento que varia.

Renda fixa que rende mais que ações - Três alternativas de investimentos

Plataforma fast trade

Por fim, existem ainda os títulos híbridos, que remuneram a variação de um indexador, mais uma taxa acordada no momento da aplicação. O Tesouro IPCA + é um bom exemplo disso, já que ele remunera a inflação do período mais uma taxa de juros. A vantagem desse título, é que ele garante o ganho real do investidor.

Investimentos de renda fixa que rendem mais que ações?

Apesar da taxa Selic estar em 2,75%, existem algumas alternativas de investimentos de renda fixa que rendem mais do que as ações. Na verdade, somente o Tesouro Selic rende o equivalente à taxa Selic, todos os demais oferecem diferentes rendimentos.

1- CDBs prefixados

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs), são títulos emitidos por bancos para financiar suas atividades. Quando um investidor adquire um CDB, ele está basicamente emprestando dinheiro para o banco em troca de uma taxa de juros. Posteriormente o banco empresta esse dinheiro para os clientes por uma taxa de juros muito maior do que a taxa paga ao investidor.

Renda fixa que rende mais que ações - Três alternativas de investimentos

Onze

Mesmo com a Selic baixa, os CDBs são uma opção de investimento em renda fixa que rende mais que ações. Isso porque, atualmente existem CDBs oferecendo um retorno de 13% ao ano, ao passo em que o rendimento histórico do Ibovespa fica em torno de 11%.

Além da taxa de juros oferecida, os CDBs possuem ainda a vantagem de serem protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Sendo assim, caso o investidor leve um calote do banco, ele recebe de volta até R$ 250 mil por CPF e instituição. Portanto, os CDBs são opção de investimento em renda fixa que oferece um retorno maior do que as ações e ainda é mais seguro.

2- Debêntures incentivadas rendem mais que ações

As debêntures funcionam de maneira similar aos CDBs. Porém, elas são títulos emitidos por empresas e não por bancos. Já as debêntures incentivadas, são títulos emitidos com a intenção de captar recursos para os setores de desenvolvimento e infraestrutura, como por exemplo: setor elétrico, saneamento e transporte.

Como o governo deseja incentivar os investimentos nos setores de desenvolvimento e infraestrutura, eles isentam as debêntures incentivadas de Imposto de Renda (IR). Desse modo, ao investir em debêntures incentivadas, o investidor está isento de IR e pode encontrar títulos oferecendo uma taxa de juros maior do que o rendimento das ações.

Yahoo

A desvantagem desses títulos é que eles são mais arriscados do que os CDBs. Isso porque, as debêntures não possuem proteção do FGC. Dessa forma, antes de investir em debêntures incentivadas, é essencial analisar a solidez da empresa emissora.

3- Tesouro Direto

Os títulos do tesouro direto na modalidade prefixado e Tesouro IPCA+, sofrem de um fenômeno chamado de marcação a mercado. Em resumo, a marcação a mercado consiste no ajuste diário dos preços dos títulos. Como esses preços oscilam para cima e para baixo, às vezes a rentabilidade salta de maneira inesperada.

Sendo assim, se o investidor aproveitar essa oportunidade para especular e vender os ativos de forma antecipada, ele pode obter um rendimento maior do que as ações. Entretanto, caso você não consiga uma oportunidade de vender os títulos em momentos de alta, basta esperar pelo vencimento do ativo.

Como estamos falando de renda fixa, se você aguardar o vencimento, você terá o retorno combinado, independente da marcação a mercado. Para saber como usar a marcação a mercado, veja o vídeo de Raul Sena:

Enfim, agora que você conhece algumas alternativas de investimentos de renda fixa que renda mais que ações, aproveite para descobrir como funciona a Curva de oferta, o que é? Como funciona e quais fatores impactam

Imagens: Plataforma fast trade, 1 Bilhão, OnzeYahoo

Conte-nos a sua opinião...