Como calcular taxa de juros: passo a passo e dicas para não errar


A taxa de juros é uma remuneração cobrada pelo empréstimo de certa quantia de dinheiro. É por isso que saber calcular a taxa de juros é tão importante.

Afinal de contas, se você emprestar ou pegar dinheiro emprestado, existe uma taxa de juros que serve como remuneração para quem emprestou o dinheiro. Logo, você tem que saber o custo desse empréstimo.

Essa lógica se aplica a alguns investimentos, como por exemplo, o Tesouro Direto, onde você empresta o seu dinheiro para o governo. Portanto, saber como calcular a taxa de juros é importante em vários aspectos da vida.

Importância de calcular taxa de juros

De maneira geral, calcular a taxa de juros é uma maneira de verificar como o tempo irá afetar seu dinheiro.

Nesse sentido, realizar este cálculo é importante em diversos aspectos da vida financeira como, por exemplo, nos investimentos e em empréstimos.

1- Investimentos

Calcular a taxa de juros nos investimentos é uma maneira de analisar o rendimento de uma aplicação e decidir entre investir ou não em certo ativo.

Nesse sentido, é possível comparar aplicações diferentes e verificar qual proporciona uma melhor relação entre risco e retorno.

O cálculo da taxa de juros é especialmente importante em aplicações de renda fixa, já que este tipo de investimento proporciona um retorno atrelado a taxas de juros e indicadores financeiros.

Dessa maneira, antes de investir em títulos de renda fixa é importante calcular a taxa de juros para ter uma previsão de qual será o rendimento no período em que o dinheiro ficará aplicado.

2- Empréstimos e financiamentos

Enquanto nos investimentos de renda fixa você empresta o seu dinheiro e recebe uma taxa de juros como recompensa, ao recorrer a empréstimos e financiamentos, é você quem irá pagar a taxa de juros.

Isso significa que é muito importante calcular a taxa de juros para determinar se o empréstimo ou financiamento é a melhor opção.

Dicas para calcular taxa de juros

Para calcular a taxa de juros corretamente é preciso tomar alguns cuidados. Sendo assim, algumas dicas para realizar os cálculos de forma correta são:

1- Juros compostos

Nos investimentos e empréstimos, são usados os juros compostos. Desse modo, ocorre os juros sobre juros, ou seja, os juros são calculados em cima do valor total e não apenas do valor inicial.

Entender sobre os juros compostos é muito importante no cálculo da taxa de juros de investimento ou empréstimo, pois ele tem um efeito de bola de neve.

No caso dos investimentos, este tipo de juros é vantajoso, pois aumenta exponencialmente o retorno. Contudo, nos empréstimos ele é prejudicial, já que aumenta bastante o valor a ser devolvido.

2- Índice de correção

Ao fazer o cálculo da taxa de juros é importante considerar também o índice de correção monetária aplicado em cima do saldo devedor, de acordo com o previsto no contrato.

Normalmente as instituições de crédito oferecem a alternativa de taxa de juros fixa corrigida pela TR – Taxa Referencial (atualmente em 0%) ou outras taxas acrescidas pelo IPCA.

3- Considere o CET

Ao calcular a taxa de juros em financiamentos e empréstimos é fundamental considerar o Custo Efetivo Total (CET). Isso porque, ele é o resultado da soma dos juros, tarifas, tributos, impostos e outros custos possíveis.

Logo, somente ao considerar o CET você poderá calcular o quanto você vai gastar de fato no empréstimo ou financiamento.

Vale destacar que normalmente as instituições financeiramente divulgam apenas a taxa de juros nominal que não é equivalente à porcentagem real que será paga em cima do dinheiro emprestado.

Como calcular taxa de juros

Dentro da matemática financeira, existem dois tipos de juros, os juros simples e os compostos.

1- Juros simples

Nos juros simples, a taxa de juros incide apenas sobre o valor inicial. Este tipo de juros é normalmente utilizado em operações de curto prazo e contratos de pessoas físicas.

Entretanto, os investimentos, empréstimos e operações financeiras no geral, utilizam os juros compostos e não os juros simples.

Apesar disso, é importante saber calcular a taxa de juros simples, já que o cálculo é útil em situações como: alguns casos específicos de aluguéis de imóveis, processo de desconto de duplicata e ainda em alguns casos específicos de recebimento de cupons de renda fixa e dividendos.

A fórmula de cálculo é: J = C*i*t. Sendo que o J são os juros e o C é o capital. O i é a taxa de juros e t é o tempo.

Em outras palavras, o J representa o acréscimo em cima do valor inicial, o capital é o valor do dinheiro atual, a taxa de juros é o percentual cobrado em cima do capital e, por fim, o tempo é o prazo de capitalização.

Tanto nos cálculos dos juros simples, quanto dos juros compostos, é importante lembrar de dividir a taxa de juros por 100 já que o seu cálculo deve ser de forma decimal.

Suponhamos que a dona Maria pegou um empréstimo pessoal de R$ 500,00 com uma taxa de juros de 10% em parcela única.

Neste caso temos que: Juros simples = R$ 500,00 *0,10*1. Logo, ela terá que pagar R$ 50,00 de juros.

Se você não gosta de fazer cálculos, não se preocupe! Você pode usar a nossa calculadora de juros simples, clicando aqui.

2- Juros compostos

Nos juros compostos os juros incide não apenas sobre o valor inicial, mas também sobre os juros acumulados até então.

Este tipo de juros é usado em diversas situações, tais como: investimentos, rotativo do cartão de crédito e cheque especial.

A fórmula de cálculo é: M = C * (1+ i)

M é o montante acumulado, C é o capital inicialmente aplicado, i é a taxa de juros e t é o tempo.

Um detalhe importante é que o capital inicial investido não influencia na potencialização dos juros compostos.

Isso porque o capital inicial é sempre multiplicado por uma parte da equação que depende somente da taxa de juros e da quantidade de períodos.

Sendo que o mais indicado é usar uma calculadora financeira ou científica para calcular os juros compostos.

Suponhamos que a dona Maria investiu R$ 50 mil em um título de renda fixa com taxa de 1% ao mês, com vencimento em 12 meses.

O cálculo é M= R$50.000,00 * (1+0,01)12 Sendo assim, o resultado é: M = R$ 56.341,25.

Enfim, você pode calcular os juros compostos de uma aplicação ou empréstimo de forma fácil e prática pela internet, para usar a calculadora de juros compostos, clique aqui.

Calculadoras de juros

Caso você não goste de fazer cálculos, não se preocupe, você não precisa calcular a taxa de juros à mão, já que existem calculadoras online que fazem esses cálculos de maneira gratuita.

Existem várias no mercado, alguns exemplos são:

1- Calculadora do Cidadão

A Calculadora do Cidadão é do Banco Central do Brasil (Bacen).

Ela calcula o rendimento de investimentos com aportes regulares, correção de valores pelos principais índices (IPCA, Selic, CDI e TR) e o valor futuro de investimentos.

Na calculadora também é possível calcular os juros, prazos e parcelas de financiamentos.

2- Simulador de investimentos

Algumas corretoras de valores oferecem um simulador de investimentos, por meio do qual é possível verificar qual o retorno  de uma aplicação e comparar entre os investimentos disponíveis.

3- Calculadora de juros compostos

Por fim, alguns aplicativos e sites oferecem uma calculadora de juros compostos onde é possível verificar qual a rentabilidade de um investimento ou o valor a ser pago em um empréstimo.

Para usar essas calculadoras, basta informar os valores inicial e mensal, período e taxa de juros. Por exemplo, aqui no site Investidor Sardinha você tem acesso a várias calculadoras, tais como:

E aí, gostou de aprender como calcular taxa de juros? Então aproveite para descobrir o que é Mercado Forex: o que é, como funciona, riscos e mitos

Fontes: Onze e Suno.

Conte-nos a sua opinião...