Viés do status quo: o que é e como funciona na vida e nas finanças


O viés do status quo é um tipo de viés cognitivo. Em síntese, ele faz com que a pessoa queria manter a situação na qual ela se encontra.

Em outras palavras, a pessoa evita que mudanças ocorram no cenário que ela está. Inclusive, o termo status quo deriva do latim e significa “estado atual”.

A pessoa com este viés pode adotar duas reações principais. A 1ª é evitar a tomada de decisões que causam algum tipo de mudança. A 2ª é tomar decisões que ajudem na manutenção do cenário atual.

Sendo assim, o viés do status quo pode ser prejudicial para a vida pessoal, profissional e financeira. Por exemplo, ao evitar mudanças, a pessoa pode acabar evitando o crescimento financeiro.

Como funciona?

O viés do status quo funciona como um viés cognitivo, onde a pessoa prefere ficar na situação atual, evitando mudanças.

O termo viés do status quo foi criado em 1988, pelos pesquisadores William Samuelson e Richard Zeckhauser.

Por meio de vários experimentos, os pesquisadores descobriram que as pessoas mostram uma grande preferência por escolhas que mantêm o status da situação atual.

Sendo assim, ao fazerem uma escolha importante, as pessoas tendem a escolher a opção que manterá as coisas como elas estão.

Ou seja, a mudança é indesejável para muitas pessoas. Sendo que, quando mudanças bruscas ocorrem, as pessoas tendem a vê-las como perda ou prejuízo.

Dessa forma, o viés do status quo pode fazer com que as pessoas percam os possíveis benefícios advindos de mudanças.

Qual é a origem do viés do status quo?

O viés do status quo, assim como vários outros vieses e heurísticas, tiveram sua origem na vida selvagem. Ou seja, eles são mecanismos que ajudaram os seres humanos primitivos a sobreviverem.

Pensando na época da vida selvagem, as mudanças não eram um bom sinal. Por exemplo, as migrações envolviam terras desconhecidas, recursos desconhecidos e predadores não conhecidos.

Sendo assim, naquela época era muito mais seguro evitar mudanças e permanecer com o cenário já conhecido. É por isso que hoje em dia o cérebro não gosta de mudanças.

Quais os impactos deste viés nas finanças e investimentos?

O viés do status quo pode ter impactos negativos nas finanças e investimentos. Isso porque ele te impede de alcançar condições melhores.

Por exemplo, muitas pessoas investem na poupança há anos. No entanto, a poupança não é uma boa opção de investimento, já que o rendimento da poupança é baixo.

Apesar de muitos saberem que a poupança não é a melhor opção, elas continuam investindo nela. Isso ocorre muitas vezes, por medo de investir em novos ativos.

Desse modo, ao invés de preferir ativos como o Certificado de Depósito Bancário (CDB), que tem a mesma proteção mas o rendimento é mais alto, elas continuam na poupança.

Qual a importância de conhecer o viés do status quo?

Aprender sobre o viés do status quo é essencial para que você identifique quando você está sendo guiado por este viés.

Isso porque, guiado por este viés, você pode evitar mudanças na sua vida. Sendo que certas mudanças são essenciais.

Por exemplo, você pode evitar mudar a sua situação financeira. Mas se você mudasse essa situação para melhor, você poderia alcançar mais objetivos financeiros.

LEIA MAIS

Viés do ator-observador: veja o que é e como funciona

Viés do ponto cego: o que é, como funciona e exemplos

Ilusão de superioridade: aprenda o que é e como funciona

Efeito de dotação: saiba o que é como lidar com ele

Efeito reflexão, o que é? Relação com os investimentos e como se livrar

Ilusão de controle, como não deixar que isso te atrapalhe

Efeito Dunning-Kruger, será que você sabe tanto mesmo?

Desconto hiperbólico, o que é e como te afeta?

Heurística da representatividade: o que é e como te afeta?

Efeito disposição: o que é, como funciona e como evitar

Fontes: Economia comportamental, Mais retorno, Exame e The cap.

Conte-nos a sua opinião...