Seu trabalho nunca vai te deixar rico


Existe uma verdade muito inconveniente para a maioria das pessoas. É uma afirmação forte, mas necessária para quem pretende enriquecer. Quer você queira, quer não, saiba: o seu trabalho nunca vai te deixar rico!

Infelizmente, quanto mais você trabalhar, mais encherá o bolso… do seu patrão.

Não estou, no entanto, defendendo uma igualdade absoluta ou um sistema baseado no socialismo.

Aliás, minha opinião pessoal é o oposto disso. Para mim, o capitalismo é o melhor sistema econômico da história.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Digo isto, porém, não com base em achismo ou alguma convicção política rasa.

É facilmente possível comprovar, com números e dados irrefutáveis, o quanto o capitalismo fez bem à humanidade.

Capitalismo combate a pobreza

Primeiramente, temos que aceitar que o capitalismo, surgido a partir da Revolução Industrial – iniciada na Inglaterra, em 1760 – combateu fortemente a pobreza no mundo.

Um estudo do site Our World in Data, especializado em análise de dados, demonstra a evolução da pobreza, desde os anos 1800 até os dias atuais.

Seu trabalho nunca vai te deixar rico

No início do período, 85% da população vivia na extrema pobreza.

Em 2017, o número de miseráveis caiu para 9%.

Nesse meio tempo, o fator determinante para a redução foi, exatamente, a mudança do nosso sistema econômico e financeiro.

Embora o percentual ainda seja alto, não restam dúvidas de que, ao longo de milênios, o capitalismo foi o melhor sistema já inventado pelo homem.

Capitalismo e qualidade de vida

Eu não acredito que o modelo capitalista seja perfeito ou ideal. Reconheço, apenas, que é o mais eficiente quando comparado aos demais.

A prova disso está por todo lado, ao nosso redor.

Em resumo, podemos dizer que um trabalhador comum, nos dias de hoje, têm uma qualidade de vida muito superior à de reis que viveram na idade média.

Se você torceu o nariz, basta imaginar como seria a sua vida sem água canalizada, luz elétrica, fogão, geladeira, e, claro, acesso à internet.

convite
Aprenda a investir gratuitamente com Raul Sena

Tudo isso é resultado de um sistema econômico que incentiva os meios de produção e, na mesma medida, os lucros.

Assim, o capitalismo tem conseguido provar que não existe escassez de riqueza no mundo.

Ou seja, cada vez mais este sistema econômico produz alimento e subsistência para a população mundial.

Consequentemente, o número de seres humanos cresce. E, na mesma proporção, o capitalismo gera ainda mais alimento e mais riqueza.

O ciclo vai se repetindo, sempre e sempre, num espiral positivo para o desenvolvimento de toda a humanidade.

A essa altura, você pode estar se perguntando: mas, o que tudo isso tem a ver com “o seu trabalho não te deixar rico”?

A utopia da igualdade

A razão para essa introdução, com um enfoque econômico mais histórico, é simples.

Tem muita gente por aí que faria de tudo para acabar com o capitalismo. São pessoas que acreditam que o sistema é abusivo, injusto e opressor.

Logo, para estas pessoas, o capitalismo não gera oportunidades para todos e aumenta a desigualdade social.

Eu, pessoalmente, concordo que o capitalismo é injusto. E assim é, como quase tudo que existe na natureza.

Pelo simples fato de nascer no Brasil, por exemplo, uma pessoa já perde inúmeras oportunidades que um norte americano vai ter ao longo da vida.

Da mesma forma, o brasileiro pode passar a vida inteira sem saber, na prática, o que é um tornado ou um furacão.

Parece injusto? Aparentemente, sim.

A verdade, portanto, é que o mundo é injusto! Há pessoas bonitas, feias, fortes, fracas, inteligentes, fisicamente saudáveis, com alguma deficiência, e por aí vai.

Assim, mesmo num grande pomar, você jamais terá uma árvore idêntica à outra.

A natureza não é justa! E vai doer menos se você, simplesmente, aceitar isso.

Então, eu discordo da ideia utópica de sempre buscar a igualdade em tudo.

Desigualdade não é pobreza

Nenhum ser humano sensato é capaz de concordar com a pobreza ou com qualquer outra mazela social.

O que temos visto, contudo, é a desigualdade sendo usada de forma leviana, principalmente, por políticos oportunistas.

Diferentemente disso, o que precisamos fazer é a distinção entre a desigualdade social e a pobreza.

Seu trabalho nunca vai te deixar rico

Para tanto, vamos fazer uma conta bem interessante.

O homem mais rico do mundo, o controverso Elon Musk, tem uma fortuna estimada em 219 bilhões de dólares. Imagine o seguinte:

  • Paulo tem 1% do patrimônio de Musk (2,19 bilhões);
  • João tem 1% do patrimônio de Paulo (21,9 milhões);
  • Pedro tem 1% do patrimônio de João (219 mil).

Assim, considerando que os valores estão em dólar, podemos concluir que Pedro tem uma pequena fortuna de 1 milhão de reais.

Alguém ousaria dizer que Pedro é pobre?

Obviamente, esta afirmação seria um equívoco.

Então, mesmo Pedro tendo apenas 1% da fortuna de João, ele é rico. E João tem 1% da riqueza de Paulo, que, por sua vez, tem somente 1% do patrimônio de Elon Musk.

No fim das contas, todos os 4 são ricos, embora haja uma desigualdade gigantesca entre eles.

O que devemos combater, portanto, não é a desigualdade, mas, sim, a pobreza.

O seu trabalho não te deixa rico

Você deve ter percebido que toda essa contextualização vai levar a uma verdade nua e crua.

Infelizmente, o seu trabalho não vai te deixar rico!

No sistema capitalista, o seu trabalho sempre vai ter o objetivo de colocar mais dinheiro na conta do seu patrão.

Injusto? Lembre-se de tudo o que acabamos de citar.

Aliás, pouca gente considera que o patrão é quem gera os empregos, movimenta a economia e está sujeito a todos os riscos do negócio. O funcionário, não.

Logo, o injusto seria o lucro ser repartido igualmente entre quem corre todos os riscos e quem apenas troca as horas de trabalho por dinheiro.

Então, mesmo que você tenha um salário, digamos, de R$ 20 mil, você está se esforçando somente para enriquecer outra pessoa.

Afinal de contas, para te pagar os R$ 20 mil, o patrão, com certeza, ganhou muito mais do que isso.

Trabalhar para pagar contas?

Todo mundo que trabalha pros outros entra num espiral de mesmice que pode durar a vida toda.

A pessoa ganha o salário, paga as contas, ganha salário, paga contas, e assim se passam meses e anos.

Vez ou outra, esta pessoa até faz algo diferente – como uma viagem, por exemplo. Mas, acaba por ficar o tempo todo preso numa corrida de ratos.

Por fim, a grande maioria da população para de trabalhar e passa a depender de uma aposentadoria pífia do INSS.

Trabalhe para gerar riqueza 

Será que existe uma solução para fugir da corrida de ratos? A boa notícia é que sim.

Mas, se você acha que é seu trabalho que vai te deixar rico, esqueça. Isso não vai funcionar.

A verdade é que você só vai ficar rico quando o seu trabalho gerar riqueza.

Parece óbvio, não? Porém, é simples assim.

Seu trabalho nunca vai te deixar rico

Para enriquecer, de verdade, você precisa usar o dinheiro para comprar a riqueza dos outros.

É isso o que acontece, por exemplo, quando você usa uma parte do salário para comprar um lote. Aí, você usa outra parte para contratar pessoas que constroem casas.

No fim das contas, você está gerando riqueza pro dono do lote, pro pedreiro, pra loja de materiais de construção, pras empresas de água, luz e saneamento, e por aí vai.

Finalmente, em troca, você recebe o aluguel mensal daquele imóvel.

Logo, sua renda passa a ser não apenas a do salário, mas também a do aluguel.

Detalhe: não estou dizendo que seja uma ótima ideia construir para alugar. O mais inteligente, neste caso, pode ser investir em Fundos Imobiliários (FIIs).

A lógica, contudo, continua a mesma: você financia um projeto que gera riqueza para uma infinidade de pessoas.

Investir te deixa rico

Chegamos, por fim, a uma conclusão bastante pertinente. Descobrimos que o trabalho não te deixa rico. Investir, por outro lado, sim.

Obviamente, não estamos falando apenas de Fundos Imobiliários. Eles são, somente, um dos diversos tipos de investimentos.

Além dos FIIs, temos os investimentos em renda fixa e, também, as ações negociadas na Bolsa de Valores.

No frigir dos ovos, quando você compra uma ação, está, na verdade, se tornando dono de uma pequena fatia das maiores empresas do Brasil e do mundo.

Ou seja, você passa a estar do outro lado do balcão.

Rico e capitalista

Quando se torna investidor, você deixa de ser mero trabalhador e passa a ganhar uma parte do lucro das empresas em que investe.

Assim, você usa sua riqueza para comprar e gerar ainda mais riqueza. Em troca, se beneficia das excelentes vantagens do capitalismo.

Isso significa que você vai ficar bilionário em pouco tempo? Claro que não.

Aliás, como investidor, você até pode ficar extremamente rico, no longo prazo. Mas, este não é o ponto.

Na verdade, o que você precisa é aprender a gerar riqueza. Dessa forma, no futuro, você vai poder viver de renda, sem nunca mais precisar trabalhar.

E, não se esqueça: ficar rico não significa ter um carrão e uma casa enorme. Rico é quem tem liberdade para fazer o que quiser, quando quiser, sem se preocupar com o dinheiro.

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de assistir ao vídeo acima – do canal Investidor Sardinha – em que detalho por que o trabalho não te deixa rico.

Aproveite e faça parte da nossa comunidade no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro do mundo dos investimentos e da Bolsa de Valores.

E não deixe de conferir, também: 7 dicas para chegar ao primeiro milhão.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Nos dias 19 e 20 de julho vamos mostrar as ações mais baratas do mercado. Cadastre-se grátis!


Conte-nos a sua opinião...