Bolsas asiáticas: veja quais são as principais

21 de outubro de 2020 - por Sidemar Castro


As bolsas asiáticas estão entre as mais importantes do mundo, refletindo como a Ásia se tornou um dos principais centros econômicos do mundo. Assim, é fundamental que o investidor esteja atento ao funcionamento das bolsas asiáticas. Em outras palavras, como o continente asiático é enorme e possui diversos países, ele possui um mercado de capitais de relevância mundial. 

Além de acompanhar, o investidor brasileiro pode fazer aplicações em bolsas asiáticas. Para isso, é necessário abrir uma conta em uma corretora internacional.

Em resumo, devido à importância mundial, o mercado asiático afeta diversos outros países em um contexto macroeconômico. Por isso, é importante para o investidor conhecer e acompanhar as bolsas asiáticas.

Continue a leitura e aprenda mais sobre o importante mercado de capitais asiático.

O que são as bolsas asiáticas?

As bolsas asiáticas são mercados de valores que operam principalmente na Ásia-Pacífico, incluindo países como China, Japão, Austrália, Indonésia, Filipinas, Singapura, Tailândia, Hong Kong e Coreia do Sul.

Esses mercados são conhecidos por sua volatilidade e podem ser influenciados por fatores políticos, econômicos e regulatórios específicos de cada país. As bolsas asiáticas são atraentes para os investidores devido às suas oportunidades de negociação e potencial de alto rendimento.

No entanto, também são consideradas mais voláteis e incertas do que as bolsas ocidentais, o que pode aumentar o risco para os investidores.

Quais são as principais bolsas de valores asiáticas?

As principais bolsas de valores da Ásia são:

Hong Kong Stock Exchange (SEHK)

A Bolsa de Valores de Hong Kong (SEHK, também conhecida como Hong Kong Stock Exchange) é uma bolsa de valores com sede em Hong Kong. É a terceira maior bolsa da Ásia em termos de capitalização de mercado, imediatamente atrás da Bolsa de Tóquio e Shanghai Stock Exchange. Além disso, é o quarto maior mercado de ações único do mundo.

Em 2018, a SEHK tinha 2.315 empresas listadas com uma capitalização de mercado combinada de HK$ 29,9 trilhões. É relatada como a bolsa de valores de mais rápido crescimento na Ásia.

A bolsa de valores é propriedade (por meio de sua subsidiária Stock Exchange of Hong Kong Limited) da Hong Kong Exchanges and Clearing Limited (HKEX), uma holding que também é listada (SEHK: 388).

O mercado de valores mobiliários de Hong Kong remonta a 1866, mas a bolsa de valores foi formalmente estabelecida em 1891, quando a Associação de Corretores de Valores de Hong Kong foi estabelecida. Ela foi renomeada para Bolsa de Valores de Hong Kong em 1914. Em 1972, Hong Kong tinha quatro bolsas de valores em operação. Posteriormente, houve apelos para a formação de uma bolsa de valores unificada. A Bolsa de Valores de Hong Kong Limited foi constituída em 1980 e as negociações na bolsa finalmente começaram em 2 de abril de 1986.

Shangai Stock Exchange (SSE)

A Bolsa de Valores de Xangai (SSE, também conhecida como Shanghai Stock Exchange) é uma das bolsas de valores mais importantes da China. Foi criada em 26 de novembro de 1990 e tem sede em Xangai. Juntamente com a Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE), a SSE é uma das duas principais bolsas de valores da China continental.

A SSE é a maior bolsa de valores da Ásia e a terceira maior do mundo em termos de capitalização de mercado, com US$ 7,62 trilhões em julho de 2021. Ela desempenha um papel essencial tanto no sistema financeiro chinês como no mercado de capitais mundial. Além disso, é crucial no financiamento das empresas chinesas, permitindo-lhes angariar fundos através da emissão de ações e obrigações.

A SSE tem vários setores de listagem, incluindo o Main Board, que lista empresas de grande capitalização e financeiramente sólidas, bem como o STAR Market, que lista empresas de tecnologia e inovação, e ChiNext, que lista pequenas e médias empresas em crescimento. A Bolsa é governada pela Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC), que é o órgão regulador responsável pelos mercados de capitais do país.

A SSE foi criada como parte dos esforços da China para modernizar o seu sistema financeiro e desenvolver o seu mercado de capitais. A primeira Bolsa de Valores chinesa moderna foi criada em 1866, mas foi fechada após a Revolução Comunista de 1949. Só no ano de 1990 é que a Bolsa foi oficialmente inaugurada, sendo responsável por facilitar a negociação de ações e títulos emitidos diretamente pelas empresas chinesas.

Tokyo Stock Exchange (TSE)

A Bolsa de Valores de Tóquio, também conhecida como TSE (Tokyo Stock Exchange), é a maior bolsa de valores da Ásia e a terceira maior do mundo em termos de capitalização de mercado. Ela foi estabelecida em 15 de maio de 1878.

A TSE é um reflexo do desenvolvimento econômico do Japão e da potência do mercado asiático. Grandes empresas que lideram o mercado mundial estão listadas na bolsa de valores japonesa.

Em 2021, a TSE tinha cerca de 3.784 empresas listadas. A capitalização de mercado combinada em 2018 era superior a U$ 4 trilhões.

As principais empresas negociadas na TSE incluem:

  • Toyota Motor Corporation
  • SoftBank Group Corp
  • Keyence Corporation
  • Chugai Pharmaceutical Co., Ltd.
  • Sony Corporation

A administração da TSE fica a cargo do Japan Exchange Group. A bolsa abriga grandes empresas japonesas com presença global, como Honda e Toyota.

Shenzhen Stock Exchange (SZSE)

A Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE, também conhecida como Shenzhen Stock Exchange) é uma das três principais bolsas de valores da China, juntamente com a Bolsa de Valores de Xangai e a Bolsa de Valores de Hong Kong. Ela está localizada em Shenzhen, na província de Guangdong.

A SZSE foi estabelecida em 1º de dezembro de 1990. A capitalização de mercado de suas empresas listadas foi de cerca de US$ 1,452 trilhão em 2013. A SZSE é a oitava maior bolsa de valores do mundo em termos de capitalização de mercado, com uma capitalização de mercado de US$ 3,90 trilhões em julho de 2021.

A SZSE é uma entidade jurídica autônoma sob a supervisão da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC). As principais funções da SZSE são supervisionar a negociação de valores mobiliários, fornecer as instalações para a negociação de valores mobiliários e elaborar regras operacionais.

A SZSE suporta o sistema de mercado de capitais de vários níveis da China com três quadros: o Quadro Principal, o Quadro SME e o Mercado ChiNext. O Quadro SME foi estabelecido em maio de 2004 para atender empresas com negócios bem definidos que são estáveis em rentabilidade. Muitas das empresas neste quadro são empresas de manufatura. Como resultado, o Quadro SME é considerado um barômetro do setor de manufatura do país. O Mercado ChiNext, estabelecido em outubro de 2009, está aberto a empresas de todos os tamanhos que atendem aos critérios de listagem, mas se concentra em empresas inovadoras em crescimento e startups.

Bombay Stock Exchange (BSE)

A Bolsa de Valores de Bombaim (BSE, também conhecida como Bombay Stock Exchange) é a primeira bolsa de valores em atividade na Índia e uma das mais antigas da Ásia. Foi fundada em 1875.

A BSE tem um papel fundamental no desenvolvimento dos mercados de capitais da Índia, fornecendo uma plataforma eficiente para o setor corporativo indiano angariar capital de investimento. Ela opera com base no princípio de prioridade de preço-tempo, onde as ordens são executadas com base no melhor preço disponível e no momento do pedido.

Em 2021, a BSE tinha cerca de 5.264 empresas listadas. A capitalização de mercado combinada em julho de 2023 era de ₹ 301 trilhões (US$ 3,8 trilhões). Seu principal índice que funciona como barômetro é o BSE SENSEX.

As principais empresas negociadas na BSE incluem:

  • Tata Consultancy Services
  • Reliance Industries
  • HDFC Bank
  • Infosys
  • ICICI Bank

A BSE é uma entidade jurídica autônoma sob a supervisão da Securities and Exchange Board of India (SEBI).

National Stock Exchange (NSE)

A National Stock Exchange of India Limited (NSE) é a maior bolsa de valores da Índia e a quarta maior do mundo em termos de volume de negociação. Foi incorporada em 1992 e desenvolveu-se em um mercado sofisticado e eletrônico.

A NSE conduz transações nos mercados de dívida atacadista, ações e derivativos. Uma de suas ofertas mais populares é o índice NIFTY 50, que rastreia os maiores ativos do mercado de ações indiano. A NSE foi a primeira bolsa na Índia a fornecer negociação eletrônica totalmente automatizada.

Em junho de 2020, a NSE acumulou US$ 2,27 trilhões em capitalização de mercado total, tornando-se uma das maiores bolsas de valores do mundo. O índice principal, o NIFTY 50, representa a maioria da capitalização de mercado total listada na bolsa.

A NSE tem sido pioneira nos mercados financeiros indianos, sendo o primeiro livro de ordens eletrônico de limite a negociar derivativos e ETFs. A bolsa suporta mais de 3.000 terminais de Very Small Aperture Terminal (VSAT), tornando a NSE a maior rede de área ampla privada do país.

Korea Stock Exchange (KRX)

A Korea Exchange (KRX, é o único operador de bolsa de valores na Coreia do Sul. Ela está sediada em Busan e tem um escritório para mercados à vista e supervisão do mercado em Seul.

A KRX foi criada através da integração das carteiras da Korea Futures Exchange, KOSDAQ Stock Market e Korea Stock & Futures Exchange. Os mercados de valores mobiliários e derivativos das bolsas anteriores são, após a integração, divisões de negócios da Korea Exchange: a Divisão de Mercado de Valores, a Divisão de Mercado KOSDAQ e a Divisão de Mercado de Derivativos.

Em 31 de dezembro de 2007, a Korea Exchange tinha 1.757 empresas listadas com uma capitalização de mercado combinada de US$ 1,1 trilhão. O horário normal de negociação é das 09:00 às 03:00 (horário local) todos os dias da semana, exceto sábados, domingos e feriados declarados pela Bolsa com antecedência.

A KRX desempenha um papel importante no desenvolvimento do mercado de capitais coreano, fornecendo uma plataforma para as empresas listarem suas ações e para os investidores negociarem títulos. Além disso, a KRX é responsável pela operação e desenvolvimento do mercado de capitais coreano.

Em 2021, a KRX listou 2.448 empresas com uma capitalização de mercado combinada de US$ 2,6 trilhões. A KRX opera vários mercados, incluindo ações, títulos, ETFs e fundos de investimento imobiliário (REITs).

Quais são os principais índices das bolsas asiáticas?

Nikkei 225

O Nikkei 225, também conhecido como Nikkei Stock Average, é o principal índice da bolsa de valores de Tóquio, no Japão. Ele foi criado em 1950 pelo jornal japonês “Nihon Keizai Shimbun” e é composto pelas ações das 225 maiores empresas do mercado asiático, abrangendo mais de 30 setores da economia. As avaliações são denominadas em ienes japoneses.

O Nikkei 225 é um índice de preços ponderados composto pelo top 225 do Japão das empresas blue-chip negociadas na Bolsa de Tóquio. Ele desempenha um papel fundamental no mercado financeiro japonês e internacional, sendo utilizado como referência para investidores e como indicador econômico.

Investir no Nikkei 225 oferece diversas vantagens para traders e investidores. Uma delas é a diversificação do portfólio, já que o índice engloba empresas de diferentes setores da economia. Isso significa que um investimento no Nikkei 225 é semelhante a uma carteira composta por centenas de ações individuais, proporcionando uma maior estabilidade e reduzindo os riscos associados a investimentos em empresas específicas.

Ademais, o mercado japonês é conhecido por sua estabilidade política e disciplina na gestão de negócios, o que se reflete no desempenho das empresas incluídas no Nikkei 225. Essa estabilidade torna o índice uma opção atrativa para investidores de médio e longo prazo. Para os traders, a volatilidade do Nikkei 225 é uma vantagem.

Hang Seng

O Hang Seng, conhecido oficialmente como Hang Seng Index (HSI), é o principal índice da Bolsa de Hong Kong. Ele consiste em um índice ponderado de capitalização de mercado que reúne as maiores e mais importantes empresas que negociam nessa bolsa. Uma subsidiária da Bolsa de Hong Kong mantém esse índice desde 1969, o qual visa à liderança do mercado de Hong Kong e cobre, aproximadamente, 65% de sua capitalização de mercado total.

As empresas que fazem parte do Hang Seng estão enquadradas em um dos quatro subíndices:

  • Comércio e indústria
  • Finanças
  • Serviços públicos
  • Propriedade

As principais empresas negociadas na Bolsa de Hong Kong são:

  • HSBC Holdings (HKEX:0005)
  • Hang Seng Bank (HKEX:0011)
  • AIA Group (HKEX:1299)
  • CK Hutchison Holdings (HKEX:0001)
  • Hong Kong Exchanges and Clearing (HKEX:0388)
  • Sun Hung Kai Properties (HKEX:0016)
  • Cheung Kong Property Holdings (HKEX:1113)
  • CLP Holdings (HKEX:0002)
  • Hong Kong and China Gas (HKEX:0003)
  • Power Assets Holdings (HKEX:0006)

Por ter um alto volume de negociação, causada principalmente por investidores estrangeiros, a Bolsa de Hong Kong é uma das mais interessantes do mercado atualmente. Esta bolsa possui grande parte dos capitais asiáticos e é caracterizada pela alta volatilidade, o que é atrativo para investidores individuais. Portanto, o Hang Seng é um dos índices mais importantes no mercado financeiro internacional.

Shangai Composite Index

O Shanghai Composite Index (SSCE), também conhecido como índice de Xangai, é o principal índice do mercado de ações da China. Ele foi criado em 1991 e inclui aproximadamente 1.921 ações negociadas na Bolsa de Valores de Xangai. O índice é um excelente indicador da saúde econômica do país.

O índice foi desenvolvido em 19 de dezembro de 1990 com um valor base de 100. Ele rastreia o desempenho diário de preço de todas as ações A e B listadas na Bolsa de Valores de Xangai. O índice alcançou sua máxima histórica no ano de 2007, com 5.954 pontos. Sua pior queda, porém, veio logo no ano seguinte, em 2008, com 1.728 pontos.

De 2014 até 2015, o Shanghai Composite observava um desempenho com uma ótima recuperação, alcançando 4.840 pontos. Porém, viria a acontecer a maior queda do índice desde a crise de 2008, chegando a 3.200 pontos. No início de 2018, a bolsa chinesa e o índice teriam uma recuperação alcançando 4.275 pontos, mas veriam novamente um desabamento durante todo o decorrer do ano com uma queda de 25% em comparação ao mês de janeiro.

O Shanghai Composite Index é importante porque a China é a segunda maior economia do mundo. Portanto, o desempenho do índice pode ter um impacto significativo nos mercados globais.

Como investir nas bolsas asiáticas?

Dependendo do país, como a China, é complicado para um investidor no Brasil operar na bolsa de lá. Porém, no Japão é perfeitamente possível. Uma maneira de investir no Japão é por meio de uma corretora internacional que opere no país. 

O primeiro passo é encontrar uma corretora e abrir uma conta. Normalmente, não são feitas cobranças, mas alguns documentos devem ser enviados. Depois disso, você deverá fazer uma transferência internacional para a conta na corretora. 

Antes de investir é importante pesquisar bastante sobre as empresas listadas nas bolsas asiáticas. Nesse momento, é interessante analisar o Nikkei 225, já que este é o principal índice da TSE. Depois disso, é só investir.

Investir no exterior é uma forma de proteger o capital quanto as oscilações econômicas no Brasil. Também é uma forma de diversificar os investimentos.

Mas os investimentos no exterior não são possíveis apenas nas bolsas asiáticas, também é possível aplicar nas bolsas europeias e norte-americanas, por exemplo.

Se você tem pouco dinheiro para investir no exterior, não se preocupe, dá para começar a investir com pouco dinheiro. Para entender como, assista ao vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha:

Fontes: Suno, Warren, Empiricus, Yubb

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR