Como investir dinheiro de herança em 9 passos

Investir a herança é essencial para as pessoas que não querem só gastar, querem construir um patrimônio sólido.

22 de fevereiro de 2022 - por Jaíne Jehniffer


Você recebeu uma herança e não sabe muito bem o que fazer com o dinheiro? Hoje eu vou te ensinar o passo a passo para investir a sua herança e fazer ela render. Além disso, vou te mostrar algumas opções de aplicações.

Como investir a herança – passo a passo

Para investir a sua herança, siga o passo a passo:

1º Passo: Organização financeira

Eu sei que muitas vezes o dinheiro da herança chega em um momento difícil. No entanto, é preciso que você não tome decisões precipitadas. Você precisa se planejar para investir o dinheiro que você herdou.

Ao investir, você consegue multiplicar o dinheiro da herança. Mas para isso, é essencial investir de acordo com o perfil, objetivos e estudar sobre o mercado.

Portanto, nada de deixar o dinheiro na poupança rendendo pouco, existem ativos muitos melhores.

Mas calma, vamos falar sobre isso mais para frente nesse texto. Isso porque, o primeiro passo para investir é organizar as suas finanças.

Não é legal começar a investir estando endividado e com as finanças bagunçadas. Dessa maneira, se você tiver dívidas, pague todas. Analise também a sua fonte de renda e gastos.

Procure se organizar para depois de investir o dinheiro da herança, você continuar realizando aportes. Desse modo, o seu patrimônio continuará a crescer.

2º Passo: Reserva de emergência

Depois de organizar as suas finanças, está na hora de você separar uma parte do dinheiro da herança para criar a sua reserva de emergência.

Em resumo, a reserva de emergência é uma reserva que deve ser usada apenas em imprevistos. Sendo assim, com a reserva você não precisa recorrer aos seus investimentos quando surgirem emergências.

De maneira geral, recomenda-se que a reserva seja equivalente a 6 a 12 meses das suas despesas mensais. Sendo que o valor ideal para você vai depender da sua condição financeira.

Por exemplo, uma pessoa com emprego estável pode ter uma reserva de 6 meses. Já um autônomo, por exemplo, precisa ter uma reserva maior.

3º Passo para investir a herança: planos e objetivos

Quais são os seus objetivos ao investir? Definir os objetivos é muito importante, pois isso irá determinar onde você vai investir.

O estabelecimento dos objetivos anda de mãos dadas com os planos. Isso porque, sem se planejar, como você vai realizar os seus objetivos?

Por exemplo, o seu objetivo pode ser atingir a independência financeira daqui a 20 anos. Neste caso, você deve planejar e criar metas, que ao serem cumpridas farão com que você atinja o seu objetivo.

4º Passo: estude

Antes de investir o dinheiro da herança, você deve entender sobre o mercado. Se você investir sem saber nada, as chances de você perder sua herança são grandes.

Por isso, não deixe de estudar pelo menos o básico sobre investimentos. Você pode estudar, por exemplo, por meio de livros e cursos.

Com os livros você pode obter uma base mais teórica sobre o mundo dos investimentos. Já em cursos como A Única Verdade Possível, você aprende a investir na prática.

5º Passo para investir o dinheiro da herança: perfil

O perfil de investidor é determinado de acordo com o nível de risco que uma pessoa está disposta a correr. Dessa forma, os 3 principais tipos de investidores são:

  1. Conservador: O investidor conservador não gosta de correr riscos. Sendo assim, ele prefere os ativos mais seguros, mesmo que o retorno não seja tão alto.
  2. Moderado: O investidor moderado aceita correr um pouco de risco em troca de um retorno mais alto. 
  3. Arrojado: Por fim, temos o investidor arrojado, que aceita correr altos riscos na expectativa de obter altos retornos.

É essencial que ao investir, você respeite o seu perfil de investidor. Com isso, as chances de você realizar os seus objetivos são maiores.

7º Passo: escolha um ativo

Algumas opções de ativos disponíveis no mercado são:

1- Títulos públicos

São os títulos emitidos pelo governo. Na prática, ao investir nesses títulos, o investidor está emprestando o seu dinheiro para o governo em troca de uma taxa de juros.

Como o governo é o emissor, esses títulos são de baixo risco. Além disso, eles possuem liquidez diária.

Isso significa que você pode fazer o resgate antecipado, não precisa esperar pelo vencimento do título. Enfim, as opções de títulos públicos são:

  • Tesouro Selic: Esse é um título pós-fixado. Logo, ele rende de acordo com a Taxa Selic.
  • Tesouro Prefixado: A taxa de juros é a mesma desde a aplicação até o vencimento do título.
  • Tesouro IPCA: Esse é um título híbrido. Sendo assim, uma parte do retorno é uma taxa prefixada e a outra varia de acordo com o IPCA.

2- Investir o dinheiro da herança em títulos privados

Os títulos privados são bem parecidos com os títulos públicos. A diferença é que os privados são emitidos por bancos, financeiras e empresas. Alguns exemplos de títulos privados são:

CDBs: Os Certificados de Depósito Bancário são emitidos por bancos. Sendo que o rendimento é maior que os títulos públicos.

Eles contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que devolve até 250 mil por CPF e instituição em caso de calote.

LCIs e LCAs: As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e do Agronegócio (LCAs) são títulos emitidos por bancos. Elas se parecem muito com os CDBs.

Desse modo, elas também têm uma rentabilidade interessante e contam com a proteção do FGC.

A diferença é que o dinheiro captado com as LCIs e LCAs deve ser destinado pelo banco para os respectivos setores imobiliário e do agronegócio. Além disso, as LCIs e LCAs tem a vantagem da isenção de imposto.

Debêntures: As debêntures são títulos emitidos por empresas com o intuito de captar recursos. Logo, as empresas podem emitir debêntures para investir em projetos e em seu crescimento, por exemplo.

As debêntures podem oferecer retornos muito bons, mas tenha cuidado: esses títulos não contam com a proteção do FGC.

3- Ações

As ações são frações de uma empresa negociadas na bolsa. Dessa forma, ao investir em ações, você se torna sócio da empresa. Isso faz com que você tenha alguns direitos, como, por exemplo, o recebimento de dividendos.

Sendo que os dividendos são parte do lucro da empresa distribuído aos acionistas. Ao reinvestir esses dividendos, você consegue aumentar ainda mais o seu patrimônio, já que você tem o efeito dos juros compostos.

Vale destacar que seu patrimônio pode crescer muito ao investir em ações. Mas isso tem um risco.

Isso porque, investir em ações não tem nenhum tipo de garantia, você pode tanto ganhar muito dinheiro, quanto perder tudo. Por isso é essencial que você estude sobre investimentos e escolha boas empresas.

4- Fundos

Os fundos de investimento são como uma reunião de investidores. O objetivo é investir em um ativo ou setor em específico.

Existem vários tipos de fundos, que variam em relação aos ativos escolhidos, estratégia de investimento e risco. Não se esqueça de levar em conta o seu perfil e escolher um fundo que seja condizente com ele.

Uma grande vantagem dos fundos é que com pouco dinheiro você já consegue uma boa diversificação para a sua carteira.

8º Passo para investir a herança: abra uma conta e invista

Depois de seguir todos os passos anteriores, está na hora de investir. Para isso, abra a conta em uma corretora de valores como, por exemplo, na Fisher.

É importante que você escolha uma corretora com bom atendimento e suporte. Isso porque, como você está começando a investir, você pode precisar de ajuda da corretora.

A preparação para investir é o mais demorado, que foi o passo a passo explicado nesse texto. Agora o investimento em si, é bem rápido e fácil.

O que você precisa fazer é uma transferência para a sua conta na corretora. Depois disso, você entra na plataforma e compra o ativo escolhido.

Uma dica: comece aos poucos. Não invista todo o dinheiro da sua herança de uma única vez. Ao invés disso, vá investindo aos poucos e conhecendo o mercado.

9º Passo: diversificação

Por fim, a última dica é diversificar a sua carteira. Ao diversificar, você dilui os riscos e potencializa os retornos.

Sendo que uma boa diversificação é feita entre diferentes classes de ativos, sempre de acordo com o seu perfil, é claro. Para aprender a diversificar corretamente, assista ao vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha:

Enfim, agora que você sabe o passo a passo para investir a sua herança, leia também Entenda o risco de ruína e o risco de trajetória

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos