Investimentos para aposentadoria – Quando começar e alternativas

A maioria dos brasileiros aposenta por meio da tradicional previdência social. No entanto, existem opções de investimentos para aposentadoria, que podem ser uma opção muito mais interessante do que se aposentar pelo mecanismo tradicional.

1 de março de 2021 - por Jaíne Jehniffer


A maioria dos brasileiros se aposenta por meio da tradicional previdência social. No entanto, existem opções de investimentos para aposentadoria, que podem ser alternativas muito mais interessantes do que se aposentar pelo mecanismo tradicional.

Uma das grandes vantagens de se investir para aposentar, é a autonomia que a pessoa possui na tomada de decisões. Por exemplo, com a previdência privada, você só pode se aposentar com a idade e o salário que eles determinarem. Em contrapartida, com os investimentos, você determina quando irá se aposentar e qual será a sua renda.

Desse modo, quanto mais cedo a pessoa começar a formar uma carteira de investimentos para aposentadoria, mais nova ela vai poder se aposentar. Outra alternativa, é se aposentar com uma idade mais tradicional, algo em torno de 65 anos. Neste caso, a pessoa pode aplicar valores mais baixos mensalmente.

Por que investir para aposentar?

Um bom motivo para você investir para se aposentar é a autonomia na tomada de decisões. Se você tiver, por exemplo, 25 anos e decidir que aos 50 anos você irá se aposentar, é possível traçar uma estratégia para alcançar essa meta. Além disso, você pode decidir qual será a sua renda mensal, coisa que não é possível com a previdência social.

Investimentos para aposentadoria - Quando começar e alternativas

Lucro fc

Você pode investir ainda como uma forma de complementar a renda derivada da aposentadoria tradicional. Afinal de contas, para levar uma vida confortável, talvez você precise de uma renda superior à recebida com a aposentadoria.

Esse complemento pode ser feito por meio da previdência privada, porém, investir diretamente nos ativos pode trazer uma rentabilidade muito mais interessante.

Quando começar a investir?

A maioria das pessoas só pensa na aposentadoria quando a velhice começa a chegar. Entretanto, quanto antes você começar a se planejar para a velhice, mais autonomia você terá nas suas decisões. Se você começar aos 25 anos, você terá muito mais tempo para investir do que quem começar aos 50 anos.

Em síntese, quem começa mais cedo pode realizar aportes menores, já que possui mais tempo até a aposentadoria. Já quem começa aos 50, precisa investir um valor muito mais alto, para conseguir poupar o suficiente para ter uma velhice confortável financeiramente.

Investimentos para aposentadoria - Quando começar e alternativas

Ingrácio

Portanto, o melhor momento para começar a investir é depois que você constituir sua reserva de emergência. Em resumo, a reserva de emergência é um dinheiro destinado exclusivamente para os imprevistos que podem surgir. Ou seja, com uma reserva, você não precisa resgatar suas aplicações quando tiver uma emergência.

Como investir para aposentar

Após criar a reserva de emergência, você poderá planejar os detalhes da sua aposentadoria. Primeiramente, defina em quanto tempo você irá se aposentar e qual o valor da renda você terá mensalmente. Posteriormente, você deve calcular o quanto você precisa investir por mês para se aposentar no tempo estimado e com a renda desejada.

Depois de estabelecer os detalhes da aposentadoria, você precisa planejar seus investimentos. O primeiro passo é conhecer o seu perfil de investidor. O próximo passo, é estudar os ativos recomendados para o seu perfil e escolher os que melhor se encaixam com seus planos.

Investimentos para aposentadoria - Quando começar e alternativas

Onze

O terceiro passo é escolher uma corretora e abrir uma conta. Por fim, faça uma transferência e invista. Uma dica importante: diversifique. Não aplique todo o seu dinheiro em um único ativo. Ao diversificar a sua carteira, você dilui os riscos e aumenta as chances de alcançar seus objetivos.

Investimentos para aposentadoria

Existem diversas alternativas de investimentos no mercado, os mais utilizados para se aposentar são:

1- Previdência privada

A previdência privada não é o tipo de investimento mais rentável, contudo, ele é um dos mais utilizados para se aposentar.

Neste opção de investimento para aposentadoria, a pessoa contrata um plano e realiza pagamento mensais visando o acúmulo de dinheiro ao longo dos anos. Sendo assim, normalmente o tempo de acumulação dura em torno de 20 a 35 anos. A previdência privada pode ser de dois tipos:

  1. VGBL: O Vida Gerador de Benefício Livre, é usada geralmente pelos contribuintes que declaram o Imposto de Renda (IR) de forma simplificada.
  2. PGBL: Já o Plano Gerador de Benefício Livre é voltado sobretudo para o contribuinte que declara o IR, de maneira completa. Desse modo, existe a possibilidade de abatimento de 12% da renda tributável no IR.
Investimentos para aposentadoria - Quando começar e alternativas

Coopnore

A vantagem dos planos de previdência privada, é que o valor aplicado é acrescido de rendimentos resultantes das aplicações realizadas pelo gestor do plano.

Por outro lado, como desvantagem temos os custos. Alguns encargos como taxa de administração, taxa de carregamento e taxa de saída, podem comprometer a rentabilidade do investidor.

2- Tesouro direto

O tesouro direto são opções de títulos públicos emitidos pelo governo para captar dinheiro para o financiamento de suas atividades. Dessa forma, ao aplicar em tesouro direto, o investidor está basicamente emprestando o dinheiro para o governo, em troca de uma taxa de juros.

Como o dinheiro é emprestado para o governo, essa opção de investimento é considerada como a mais segura do país. Justamente por ser mais segura, ela não é a mais rentável.

Aqui cabe um adendo: todos os investimentos possuem uma relação entre risco e retorno. Sendo que, quanto mais alto o risco, maior as probabilidades de retorno e vice-versa.

Aceb qualifica

3- Fundos de investimentos para a aposentadoria

Os fundos de investimentos funcionam como uma reunião de investidores, chamados de cotistas. O responsável por aplicar a patrimônio do fundo é o gestor, portanto, o investidor não tem nenhum poder de decisão em relação às aplicações que serão realizadas.

A vantagem dos fundos, é o recebimento de renda passiva e a gestão profissional. A desvantagem, são os custos com taxas de administração e performance, que em alguns tipos de fundos podem comprometer o retorno. Sendo que, os fundos mais populares são os investimento imobiliário e os de ações.

4- LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio são duas opções de investimentos que possuem praticamente as mesmas características. Os emissores desses ativos são os bancos.

Dessa maneira, ao investir em LCI e LCA, o investidor está emprestando dinheiro para o banco, que posteriormente irá destinar os recursos para os projetos de agronegócio e imobiliário. Enfim, a grande vantagens desses ativos, é a isenção de Imposto de Renda (IR).

Sinjus

5- Ações

Em síntese, as ações são pequenas frações de uma empresa. Ao aplicar nelas, o investidor se torna um sócio minoritário da companhia. Existem dois tipos de ações: ordinárias e preferenciais.

Com as ações ordinárias, o investidor passa a ter direito de voto nas assembleias da empresa. Já com as ações preferenciais, ele passa a ter prioridade no recebimento de dividendos.

Montar uma carteira de dividendos pode ser uma boa estratégia para se aposentar, já que assim você consegue uma renda passiva periódica. Inclusive, é possível montar uma carteira para receber dividendos mensais, veja o vídeo de Raul Sena e descubra como:

Enfim, agora que você conhece algumas opções de investimentos para aposentar, descubra algumas Ações para se aposentar – Como escolher e quais critérios considerar.

Fontes: Space money, Rico e Infomoney

Imagens: Lucro fc, Coopnore, Onze, Ingrácio, Aceb qualifica, Sinjus e Melhor taxa

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR